Reclamações de consumidores contra moedas digitais crescem em meio a fenomenais subidas de preços

Em meio à capitalização de mercado crescente para as criptomoedas, o número de reclamações contra empresas de moeda digital apresentadas ao US Consumer Financial Protection Bureau (CFPB) aumentou em quase 6.000% de acordo com o relatório da LendEDU.

Com base nos dados da CFPB, houve 277 reclamações marcadas como "moeda virtual" desde janeiro. Em todo o ano de 2016, havia apenas sete. Mais de 288 reclamações foram apresentadas contra a Coinbase em 2017. No entanto, isso representa apenas uma fração das 145.948 queixas totais apresentadas à CFPB em 2017.

As denúncias apresentadas pelos consumidores não significam necessariamente que as partes em questão envolvam qualquer irregularidade. No entanto, reguladores e pesquisadores estão usando o banco de dados do CFPB para identificar possíveis atividades criminosas.

CFPB avisa sobre moedas digitais

Enquanto isso, o CFPB emitiu um aviso aos consumidores sobre possíveis problemas com criptomoedas. Entre as questões potenciais citadas estão as taxas de câmbio voláteis das moedas virtuais e a ameaça de hackers e fraudes. A agência também afirmou que as empresas envolvidas na negociação de moeda digital podem não fornecer assistência ou reembolso de fundos perdidos ou roubados aos consumidores.

Parecer sobre os possíveis motivos do aumento das queixas

O especialista em lei tributária de Bitcoin e em conformidade com o combate à lei antilavagem de dinheiro (AML) Tyson Cross ofereceeu sua opinião sobre o aumento das queixas de criptomoedas. Ele acha que o aumento das reclamações deve-se aos processos de verificação mais rigorosos implementados pelas casas de câmbio.

"Como um todo, a indústria está crescendo e mais consumidores estão criando contas. Na Coinbase, a base de usuários está crescendo muito rapidamente. No entanto, como a indústria cresceu ela teve então de ter restrições impostas sobre empresas como a Coinbase pelos reguladores. Os reguladores obrigaram as casas de câmbio como a Coinbase, a colocar restrições e limites apertados aos usuários devido a preocupações com o combate à lavagem de dinheiro. A Coinbase e outras casas de câmbio, agora exigem um processo de verificação detalhado para retirar o dinheiro".