Coinshares pede aos clientes que combatam a proibição do regulador do Reino Unido no ETN de cripto

A Autoridade de Conduta Financeira (FCA) do Reino Unido propõe proibir notas negociadas em bolsa (ETNs) cripto, mas a Coinshares, uma exchange pública regulamentada do Reino Unido, discorda dessa proposta.

Desacordos quanto à evidência da FCA

Em uma carta aberta de 23 de setembro, publicada em seu site, a Coinshares afirmou que a FCA não forneceu evidências suficientes para justificar a proibição proposta de ETNs de cripto, alertando seus clientes de que não poderão mais comercializar esses produtos se a proibição for aprovada. Coinshares disse:

“Acreditamos que a FCA não forneceu evidências suficientes para justificar a proibição proposta. Por meio de sua consulta, o regulador faz poucas tentativas de comprovar genuinamente suas reivindicações e, em vez disso, define os ETNs cripto como um 'conjunto de dados' para ilustrar sua percepção e os danos que a FCA acredita que esses produtos causam.”

ETNs são um tipo de nota de dívida não garantida, emitida por uma instituição, que pode ser negociada ou mantida até o seu vencimento.

A Coinshares está pedindo aos seus clientes que se juntem a eles na luta contra a FCA, assinando uma petição e enviando e-mails e mensagens de texto diretamente ao regulador, expressando suas divergências com a proibição proposta. Coinshares escreveu:

“Esperamos que você nos apoie no combate a essas propostas enviando uma resposta [...] Quanto mais respostas a FCA receber em protesto contra essas medidas, maior a probabilidade deles entenderem o sentido e abandonarem essas propostas.”

20% dos millennials ricos do Reino Unido investiram em cripto

Enquanto a FCA está considerando uma proibição de ETNs de cripto, o Cointelegraph relatou anteriormente que uma pesquisa recente do escritório de advocacia Michelmores LLP, com sede em Londres, revelou que 20% dos millennials ricos no Reino Unido investiram em Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas.

A pesquisa revelou que entre os nascidos entre 1981 e 1996 com ativos investíveis de £ 25.000 (US$ 31.000) ou mais, 20% haviam investido na nova classe de ativos.