Nova pesquisa aponta que 20% dos millennials ricos do Reino Unido investiram em Bitcoin

O escritório de advocacia Michelmores LLP, com sede em Londres, fez uma pesquisa entre os millennials ricos no Reino Unido e descobriu que 20% deles investiram em Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas.

A pesquisa, divulgada pelo FXStreet em 17 de setembro, revelou que entre os nascidos de 1981 a 1996 com ativos investíveis de £ 25.000 (US$ 31.000) ou mais, 20% haviam investido na nova classe de ativos.

Quase 7 vezes a média nacional

Como observa o FXStreet, esse número de 20% é marcadamente superior à média nacional de 3% - indicando que os millennials abastados do Reino Unido têm quase 7 vezes mais chances de investir em criptomoedas do que o público em geral.

Além disso, quando se trata de millennials com mais de £ 75.000 (US$ 93.000) em ativos investíveis, a porcentagem de investidores em criptomoeda salta para 29%.

Notavelmente, 70% dos entrevistados indicaram que sua riqueza investível derivava de ordenados e salários, enquanto 40% disseram que era através de retornos de investimento.

Esse interesse em oportunidades de investimento se traduz em um alto nível de fluência na infraestrutura de negociação on-line: 35% dos entrevistados disseram que investem usando plataformas de negociação eletrônica, enquanto 27% disseram que consultaram plataformas de negociação social e navegaram ou participaram de comunidades eletrônicas de comerciantes.

Divisões geracionais

A pesquisa do Michelmores reforça a que foi realizada no início deste ano do outro lado do oceano. Os resultados de uma pesquisa do Bankrate nos Estados Unidos em julho deste ano indicaram que as criptomoedas são três vezes mais populares entre os millennials americanos como uma opção de investimento de primeira escolha e de longo prazo do que para a geração X.

Também em julho, 26% da Geração Z nos EUA - geralmente definidos como nascidos após 1997 - disseram que estariam de certa forma, muito ou extremamente propensos a comprar criptomoeda nos próximos 6 meses.

Em abril, uma pesquisa da indústria revelou que 11% da população americana possui Bitcoin, identificando a propriedade do Bitcoin é uma "mega tendência demográfica" liderada pela geração mais jovem na faixa etária de 18 a 34 anos. No entanto, 89% dos cidadãos dos EUA ouviram falar da criptomoeda, independentemente de sua geração.