Coinbase adquire empresa de serviços financeiros para se tornar corretora regulamentada pela SEC

A Coinbase, principal plataforma de negociação de criptomoedas dos EUA, iniciou o processo para se tornar uma corretora totalmente regulada pela Commissão de Valores Mobiliários (SEC) dos EUA. De acordo com um anúncio publicado em 6 de junho, isso será possível graças à aquisição da corretora de valores Keystone Capital Corp., além da Venovate Marketplace, Inc. e da Digital Wealth LLC.

A aquisição poderia ajudar a casa de câmbio sediada em São Francisco a ampliar suas ofertas e, posteriormente, expandir-se para produtos financeiros não-cripto. No anúncio, a empresa disse que está procurando "trabalhar com os reguladores para tokenizar os tipos existentes de títulos", que a casa acredita que "democratizará o acesso aos mercados de capitais" para empresas e investidores do setor. Asiff Hirji, presidente e diretor de operações da casa, disse:

"Se aprovada, a Coinbase em breve será capaz de oferecer títulos baseados em blockchain, sob a supervisão da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos e da Autoridade Reguladora da Indústria Financeira (FINRA). Esse avanço está sendo possível graças à nossa aquisição de uma licença de corretora de títulos".

A Coinbase, que supostamente negociou US $ 150 bilhões em ativos com mais de 20 milhões de clientes, anunciou que está "no caminho certo" para listar os títulos de cripto regulados pela SEC:

Hoje temos o prazer de anunciar que estamos no caminho certo para nos tornarmos um local de negociação de títulos blockchain regulamentado pelos EUA. Acreditamos que este é um momento importante não apenas para a Coinbase, mas para todo o ecossistema cripto.

Com esse movimento, a Coinbase se junta a outras plataformas que estão procurando negociar títulos baseados em blockchain sob a jurisdição reguladora da SEC. A Susquehanna, com sede na Pensilvânia, recentemente alterou sua licença para corretora para negociar criptomoedas e futuros de Bitcoin. A empresa planeja oferecer moedas digitais para um pequeno grupo de clientes e pretende expandir o serviço no futuro.

A plataforma de pagamentos peer-to-peer Circle Internet Financial Ltd. está buscando uma licença bancária e registro como corretora e local de negociação junto à SEC. Isso permitiria que a plataforma vendesse tokens considerados títulos. O COO Robert Bench disse que uma licença bancária reduziria o número de reguladores com que a plataforma precisaria para trabalhar: "Você pode ter uma única conversa. É difícil ter 50 conversas”.

No início desta semana, a Coinbase revelou planos para entrar no mercado cripto japonês e pretende solicitar uma licença junto ao regulador financeiro do país, a Agência de Serviços Financeiros. Diz-se que a Coinbase está trabalhando com o Mitsubishi UFJ Financial Group (MUFG) em sua expansão para o Japão. O MUFG investiu mais de 1 bilhão de ienes na Coinbase desde 2004 através do Mitsubishi UFJ Bank e da Mitsubishi UFJ Capital.

Enquanto o Japão é o maior mercado mundial de criptomoedas, com 3,5 milhões de operadores de cripto, a Coinbase pode enfrentar uma forte concorrência. Existem atualmente 16 casas de câmbio de cripto registradas no Japão. A Coincheck, que era a maior do país, suupostamente faturou US $ 150 milhões em lucros trimestrais.