Circle demite 10% dos seus funcionários e CEO culpa clima regulatório restritivo dos EUA

O CEO da Circle, startup financeira cripto apoiada pelo Goldman Sachs, culpou o ambiente regulatório hostil nos Estados Unidos para confirmar nas redes sociais a demissão de 30 funcionários nesta última terça-feira, 21 de maio.

Após uma publicação em blog sobre as dificuldades de se operar nos EUA, Jeremy Allaire disse que os executivos haviam tomado a decisão de dispensar um em cada dez funcionários da Circle.

“Hoje fizemos mudanças organizacionais na Circle e eliminamos aproximadamente 30 posições, o que representa cerca de 10% de nossos funcionários”, escreveu o executivo. Allaire afirmou ainda:

“Fizemos essas mudanças em resposta às novas condições de mercado, e mais importante, ao clima regulatório cada vez mais restritivo nos Estados Unidos.”

Como informado pelo Cointelegraph, Allaire havia mirado no lento progresso do cenário regulatório dos EUA, mas continuava esperançoso de que o futuro traria melhorias.

Ele fez os comentários ao tentar explicar por que a Circle cortou o acesso dos EUA a alguns pares de negociação na Poloniex, exchange de criptomoedas adquirida pela empresa em 2018.

Ao anunciar as demissões, Allaire também procurou ressaltar a saúde geral da Circle como empresa.

"A Circle continua forte e saudável, continuaremos impulsionando a inovação e o crescimento de novos produtos globalmente, trabalhando com jurisdições que oferecem políticas voltadas para o futuro que regulam os negócios de ativos digitais, enquanto pressionamos por uma política cripto mais equilibrada nos EUA", acrescentou.

O portal de notícias cripto, The  Block informou ainda que a Circle reduziu sua meta de arrecadação de fundos de US$ 250 milhões em 40%, citando fontes anônimas.

A Circle é o mais recente negócio do setor a reduzir suas operações em resposta a um ano extremamente desafiador.

Como observou o Cointelegraph, a gigante de mineração de Bitcoin (BTCBitmain, a startup blockchain ConsenSys e a exchange Huobi já haviam tomado a decisão de reduzir o número de funcionários.

Desde então, o mercado tem se recuperado, com o Bitcoin permanecendo em torno de US$ 8.000 no momento desta publicação.