O yuan chinês responde por menos de 1% dos negócios com Bitcoin, diz relatório do PBoC

O Banco Central da China, o Banco Popular da China (PBoC), declarou que o yuan chinês agora representa menos de 1% das transações globais deBitcoin (BTC), o Ásia Times reporta hoje, 9 de julho.

O PBoC divulgou um novo relatório na sexta-feira, 6 de julho, indicando que a participação do yuan nos negócios globais do Bitcoin despencou nos meses que se seguiram à repressão do governo ao setor de criptomoeda, informa o Asia Times.

Enquanto em 2017, as bolsas chinesas respondiam por mais de 90% da indústria global de criptomoeda- um número corroborado no relatório desta semana do PBoC - sua participação atual de menos de 1% revela o impacto importante das restrições políticas. Guo Dazhi, diretor de pesquisas do Zhongguancun Internet Finance Institute, é citado pelo Asia Times dizendo que:

“Os novos números indicam que a política foi bem sucedida. Está dentro das expectativas que a participação do yuan nas transações globais do Bitcoin caia depois que a China anunciou a proibição. ”

A mídia local XinhuaNet citou o relatório do PBoC dizendo que as políticas do país haviam garantido uma saída de “risco zero” para as 88 bolsas de criptomoedas e 85 plataformas de negociação da ICO fechadas desde o final de 2017.

Na China em Setembro de 2017 teve a proibição das corretoras cripto e Oferendas Iniciais de Moedas (ICOs) se tornaram ainda mais rigorosas no início de 2018, com oficiais aumentando suas restrições em Janeiro para incluir uma categoria mais ampla de plataformas e serviços de “criação de mercado”.

Em fevereiro, a China adicionou plataformas offshore e sites de ICO ao seu Great Firewall, endurecendo ainda mais sua posição.

Outros relatos da mídia local sugeriram que a China não pretende levantar a proibição do comércio de Bitcoin em breve, ainda considerando que o mercado de criptomoedas volátil representa riscos excessivos para os investidores domésticos.

Apesar de sua posição hardline sobre as criptomoedas descentralizadas, como Bitcoin, o PBoC tem, no entanto, perseguido uma visão de longo prazo para a integração blockchain firmemente no setor financeiro tradicional.

Há apenas duas semanas, o banco arquivou uma nova patente para uma carteira digital, no mesmo mês em que revelou seu novo sistema acionado por blockchain com funcionalidade de contrato inteligente projetado para "tokenizar" cheques de papel.

O governador do PBOC disse nesta primavera que enquanto as moedas virtuais são "tecnologicamente inevitáveis" e acabarão por diminuir a circulação de caixa, o PBoC pretende controlar os "efeitos imprevisíveis" impostos por formas descentralizadas de criptografia e certas aplicações de blockchain.