Polícia chinesa prende minerador de bitcoin que "roubou" 150 MW de eletricidade

Um homem chinês encontrou-se sob custódia policial depois de tentar roubar eletricidade para financiar sua operação não lucrativa de mineração de Bitcoin, informou a mídia local Xinhua em 22 de junho.

O suspeito, conhecido apenas pelo seu sobrenome Ma, supostamente minerou Bitcoin e Ethereum em duzentos computadores na província de Anhui, todos os quais foram confiscados pela polícia após a prisão do homem. No total, Ma havia roubado 150 megawatts (MW) de eletricidade, segundo a Xinhua.

Segundo as fontes, Ma não tinha idéia sobre os custos de energia para executar a operação de mineração considerável quando ele comprou o hardware em abril, que posteriormente acabou por ser mais de 6000 yuan ($930) por dia.

A polícia foi alertada sobre Ma quando a rede local "relatou uso anormal de eletricidade".

"... A polícia descobriu que o medidor de eletricidade para a suspeita operação de mineração de criptomoeda tinha sido curto-circuitado, o que provavelmente foi uma tentativa de desviar a conta de energia", acrescenta a Xinhua.

A China tentou reprimir sua indústria de mineração nos últimos meses, que antes envolvia uma proliferação de operadores em áreas que tinham excesso de oferta de energia.

Vários casos envolvendo a prática surgiram na mídia, incluindo um caso em abril, quando um minerador taiuanês foi baleado por gangsters após um acordo mal administrado.

Em todo o mundo, a mineração de Bitcoin deverá consumir 0,5% da produção total de eletricidade, até o final deste ano, como a Cointelegraph relatou em maio.