Gigante chinesa de mineração registra IPO de US$ 400 milhões nos EUA

A gigante chinesa de mineração de criptomoedas, Canaan Creative, entrou com uma ação para ser uma empresa de capital aberto nos Estados Unidos.

Em 28 de outubro, a Canaan Creative entrou com uma oferta pública inicial (IPO) junto à Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA, para arrecadar US$ 400 milhões, enquanto planeja ser listada na Nasdaq sob o código CAN.

A Canaan supostamente apresentou um pedido preliminar de IPO de US$ 200 milhões aos reguladores dos EUA em julho, mas o formulário F-1 não foi tornado público até hoje.

Se for bem-sucedida, a Canaan, que é uma das três principais empresas de mineração de criptomoedas chinesas, ao lado da Bitmain e da Yibang International, pode se tornar a primeira empresa de mineração sediada na China, a ser negociada publicamente nos EUA.

A Bitmain já entrou para listar uma IPO na SEC dos EUA em junho de 2019, após o vencimento de seu pedido de listagem de IPOs na Bolsa de Valores de Hong Kong, em março.

De acordo com o registro na SEC, a Canaan gerou US$ 394 milhões de receita em 2018, com um lucro líquido de US$ 8,3 milhões. No entanto, a fabricante de máquinas de mineração Bitcoin sofreu uma perda de receita abrangente, no valor total de US$ 45,8 milhões em 2019.

Concorrente da Canaan abre a "maior fazenda de mineração do mundo"

O maior concorrente da Canaan, a Bitmain, abriu o que afirma ser a maior instalação do mundo para mineração de Bitcoin (BTC) em Rockdale, Texas, que foi concluída graças a uma colaboração com o distrito de desenvolvimento municipal de Rockdale e a empresa canadense de tecnologia DMG Blockchain Solutions.

Clinton Brown, gerente de projetos da Rockmain na Bitmain, disse que o lançamento da instalação é "significativo para os planos de expansão global da Bitmain" e que os recursos energéticos estáveis e eficientes do estado, serão fundamentais para apoiar o que ele acredita ser a escala inevitável de crescimento da indústria de mineração.