Regulamentações mais rígidas da China vão reforçar o mercado de Hong Kong

Em 15 de setembro o governo chinês e os reguladores financeiros locais solicitaram oficialmente que as casas de câmbio chinesas e as plataformas de negociação fechassem até o final de setembro. OKCoin e Huobi, as duas maiores casas da China, receberam permissões receberam permissões para operar até o final de outubro.

Mais estranhamente, o preço do Bitcoin se recuperou de US$ 2.900 para US$ 3.600, já que o governo chinês e as casas locais confirmaram a suspensão nacional das casas de câmbio. Muitos analistas explicaram que os comerciantes estavam procurando comprar na queda, o que justifica o abrupto aumento de US$ 800 no preço do Bitcoin dentro de um período de 24 horas.

Muitos investidores, comerciantes e analistas ainda se mantêm otimistas em relação à proibição das casas de câmbio da China, porque ao longo de 2017, só o mercado chinês de câmbio de Bitcoins representou cerca de 10 a 13% dos negócios globais de Bitcoin.

Região reguladora amigável

Além disso, em entrevista ao South China Morning Post, Leonhard Weese da Associação Bitcoin de Hong Kong, observou que as restrições da China ao comércio de ao uso de Bitcoin direcionarão empresas para Hong Kong e países vizinhos como Japão e Coreia do Sul.

Weese disse ao South China Morning Post:

"As pessoas na China terão mais cuidado com o marketing desses eventos, e muitas dessas atividades de marketing virão para Hong Kong sob a forma de conferências e comunidades".

Desde o início de 2015, Hong Kong foi elogiado por ser uma região reguladora para as start-ups Bitcoin e Blockchain. Ainda assim, ao contrário da China, da Coreia do Sul e do Japão, os mercados de câmbio de Bitcoin e criptomoedas de Hong Kong têm lutado para demonstrar crescimento exponencial. Nos últimos três anos, apenas 1 casa de câmbio de Bitcoin baseada em Hong Kong, a Bitfinex, foi capaz de se transformar em uma plataforma de negociação global de Bitcoins.

Mas Weese enfatizou que, se a China continuar a reprimir os negócios relacionados ao Bitcoin e criptomoedas, isso irá impulsionar o crescimento para Hong Kong.

Punidas injustamente

É importante reconhecer que os principais casas de câmbio de Bitcoins como OKCoin, Huobi e BTCC, as três maiores casas de câmbio da China, foram injustamente punidas por sua cooperação com o governo.

Ao longo dos últimos 12 meses, toda a indústria chinesa de Bitcoin colaborou estreitamente com as autoridades locais, a fim de estabelecer padrões transparentes da indústria e melhorar o mercado chinês de casas de câmbio de Bitcoins.

E como prêmio, elas foram encerradas pelos poderes, apesar de terem alocado grandes quantidades de capital e recursos para atender às demandas do governo chinês.

Joseph Young diz: Casas de câmbio de #bitcoin chinesas trabalharam com o governo, alocando recursos substanciais para melhorar o mercado e foram punidos como recompensa.

É difícil imaginar que as start-ups com capital limitado e até mesmo as empresas de bitcoin de grande escala estarão dispostas a passar pelo mesmo caminho que as casas de câmbio de Bitcoins chinesas passaram apenas para serem fechadas e encerradas pelas autoridades.

Nos próximos meses, como a BTCC, OKCoin, Huobi e outras casas de câmbio de Bitcoin continuam a expandir seus serviços internacionais, Hong Kong, Coreia do Sul e Japão provavelmente exprimentarão um rápido crescimento em termos de usuários de Bitcoins, atividades comerciais e conferências.


Siga-nos no Facebook