Alto funcionário do Banco Central diz que cripto nacional da China se assemelha ao Libra

Um alto funcionário do banco central da China confirmou que a vindoura moeda digital do país terá semelhanças com o token Libra, do Facebook.

O site em inglês de Hong Kong Economic Journal divulgou as notícias em 6 de setembro, citando a cobertura prévia da Shanghai Securities News, de propriedade da Agência de Notícias Xinhua, imprensa oficial estatal chinesa.

"Precisamos nos planejar com antecedência na ocasião de um dia chuvoso"

Mu Changchun - vice-diretor do departamento de pagamentos do Banco Popular da China (PBoC) - disse que a moeda digital da China terá entrada nas principais plataformas de pagamentos eletrônicos, como o WeChat, da Tencent, e o Alipay, da Alibaba.

Os tokens serão garantidos pelo banco central e, portanto, tão seguros quanto as notas em papel emitidas pelo PBoC e podem ser usados ​​sem conexão com a Internet, para garantir que as transações continuem mesmo em caso de queda das redes de comunicação.

Falando das motivações do país para buscar uma moeda digital, Mu argumentou que a moeda ajudaria a proteger a soberania cambial da China, mesmo quando inúmeras aplicações comerciais de moedas digitais ganham força:

“Por que o banco central ainda está fazendo uma moeda digital hoje quando os métodos de pagamento eletrônico são tão desenvolvidos? É para proteger nossa soberania monetária e status legal da moeda. Precisamos nos planejar com antecedência para o caso de um dia chuvoso.”

A vindoura moeda digital nacional terá como objetivo oferecer provisões para pagamentos anônimos e impedir a lavagem de dinheiro, observou Mu. Ele esclareceu que, embora a moeda focada em pagamentos tenha semelhanças com o Libra, não seria uma cópia direta.

Ela pode ser lançada já em novembro

Conforme reportado, a China pesquisa seu projeto de moeda digital desde 2014, com o trabalho de desenvolvimento ganhando tração em 2018. No mês passado, o PBoC revelou que a moeda estava quase pronta para o lançamento.

Como observa o Economic Journal, a moeda pode ser lançada já em 11 de novembro - significativamente mais cedo que o Libra do Facebook.

Mu indicou anteriormente que a estrutura organizacional da moeda é, em certa medida, semelhante à do Libra e que o projeto do titã de mídia social influenciou o design original da moeda.

Os acadêmicos chineses também alegaram que a revelação do Libra provocou debates entre os reguladores locais e motivou os designers do projeto a envolver mais instituições não-governamentais no processo de desenvolvimento e emissão da moeda.

Mesmo com o Libra enfrentando obstáculos regulatórios significativoss - talvez até mesmo colocando em risco seu possível lançamento - executivos do serviço de pagamentos da Apple, o Apple Pay, sinalzaram esta semana que a Apple considera que uma entrada no setor cripto pode fazer sentido estratégico e que a empresa acredita que as criptomoedas têm potencial a longo prazo.