O 'Google chinês' Baidu lança plataforma de proteção de direitos de imagem baseada em Blockchain

A Baidu, gigante chinesa em buscas na Internet, lançou uma plataforma de gerenciamento de direitos de propriedade de imagem digital baseada na Blockchain, anunciou a empresana quarta-feira, 11 de abril.

O serviço, chamado Totem, registra a data e hora de cada imagem original enviada com uma identidade em tempo real e outros dados do usuário, armazenando-a em um Blockchain rastreável e imutável.

De acordo com o anúncio do Baidu, as capacidades de inteligência artificial existentes da empresa - incluindo análise de imagem e compreensão semântica - alimentarão a construção de tags de imagem exclusivas, com o sistema Blockchain subjacente permitindo que as imagens circulantes sejam rastreadas, reproduzidas e monitoradas para comprovar ou refutar alegações de violação de direitos autorais.

A Baidu anunciou que os serviços tradicionais de fotografia - incluindo o parceiro da Getty Images, o Visual China Group - já migraram para a plataforma.

A empresa não esclareceu se o Blockchain que está usando para o Totem é público ou baseado em permissão.

O Totem do Baidu vem na trilha da plataforma Blockchain de gerenciamento de direitos de imagem da Kodak, anunciada em janeiro de 2018. Da mesma forma, usa um livro digital para estabelecer a propriedade dos direitos e também oferece um token KODAKCoin para a comunidade de fotos online pagar e receber dividendos em suas licenças de imagem. As ações da Kodak dobraram de valor após o anúncio de sua plataforma Blockchain e ICO, mas o lançamento da moeda foi adiado, pois a empresa seguiu as ordens da SEC exigindo que avaliasse a situação financeira dos EUA com base em potenciais investidores.