China: Homem sentenciado a 3 anos e meio de prisão por roubar energia de trem para minerar Bitcoin

Um homem na China foi condenado a três anos e meio de prisão por roubar energia de uma estação de trem para abastecer suas operações de mineração Bitcoin (BTC), informou o jornal local The Paper em 8 de outubro.

De acordo com documentos judiciais divulgados hoje, a sentença foi estabelecida em 13 de setembro na Corte de Transporte Ferroviário de Datong, na província chinesa de Shanxi. Além do tempo de prisão, o indivíduo, um local chamado Xu Xinghua, teria sido multado em 100.000 yuans (cerca de US $ 14.500).

Diz-se que Xinghua roubou eletricidade de uma das fábricas da Kouquan Railway em novembro e dezembro de 2017 para abastecer seus 50 mineradores de Bitcoin e três ventiladores elétricos 24 horas por dia. O documento afirma que cinco das máquinas de mineração foram danificadas durante esse período.

Em abril de 2018, Xinghua teria minerado com sucesso 3,2 Bitcoin, ganhando 120 mil yuans (cerca de US $ 17.400) e tendo uma conta de eletricidade de 104.000 yuans (US $ 15.000).

Além de prisão e multa, o tribunal ordenou que Xinghua cubra o custo das tarifas de eletricidade e confiscou seu equipamento de mineração, informou o The Paper.

Encargos de natureza similar não são sem precedentes na China. Em junho, um homem na província de Anhui, na China, foi preso por tentar roubar eletricidade para financiar suas operações de mineração supostamente “não lucrativas”. O suspeito teria roubado 150 megawatts (MW) de energia para abastecer duzentos computadores que ele usou para minerar Bitcoin e Ethereum (ETH) - gerando uma conta de luz de mais de 6.000 iuans (930 dólares) por dia.

Com o país estabelecido como uma superpotência de mineração de cripto devido à abundância de energia e hardware barato, surgiram relatórios no início deste ano de que as autoridades chinesas estavam preparadas para tentar reprimir a indústria.

Um memorando do Banco do Povo da China (PBoC) para um regulador governamental vazado na Internet de alto nível alegadamente teria declarado que as mineradoras de bitcoin deveriam fazer uma "saída ordenada" do país devido a elas esgotarem "enormes quantidades de recursos e fazer subir especulação de moedas virtuais”.

O regulador teria ordenado posteriormente que as autoridades locais manejassem todos os meios disponíveis em seu arsenal - incluindo “medidas ligadas ao preço da eletricidade, uso da terra, impostos e proteção ambiental” - para pressionar os mineradores a cessarem suas operações.