China é a líder mundial de pesquisas no Google pelo Libra do Facebook

A China é a líder global no que tange as buscas por "Facebook Libra" no Google um mês após o lançamento do white paper do Libra.

China está de olho no Libra do Facebook

Até 18 de julho, a China era a primeira na lista de países que pesquisam sobre o novo projeto de criptomoeda do Facebook, de acordo com dados do Google Trends.

Com base nos dados, a China tem a maior proporção de consultas de pesquisa por Libra, com um valor máximo da popularidade de consulta de 100. Os países do top incluem Santa Helena, segundo colocado com um valor de 37, à frente de Cingapura, Hong Kong e Luxemburgo.

“Facebook Libra” Google searches over the past 30 days

Pesquisa por “Facebook Libra” no Google nos últimos 30 dias. Cortesia do Google Trends

Ao mesmo tempo, a pesquisa pelo mesmo termo é surpreendentemente baixa nos Estados Unidos, com valor de consulta estimado de 10. Como tal, o país de origem do Facebook está classificado no 25º lugar na lista, com base na popularidade das pesquisas do Libra no Google. Portugal é o 13º e o Brasil o está na 19ª posição no ranking

Marcus confirma que Libra vai competir com WeChat e Alipay

Os dados do Google Trends não são a única fonte que prova o enorme aumento de interesse da China pelo Libra do Facebook. A chinesa Sina Weibo, a maior rede de mídia social do país, também registrou uma crescente popularidade do Libra.

O Cnledger, recurso de notícias focadas na China baseado no Twitter, informou hoje que a frase "Libra vai competir com Alipay e WeChat" agora é a segunda pesquisa mais popular no Weibo.

Enquanto isso, David Marcus, chefe da subsidiária blockchain do Facebook, a Calibra, confirmou recentemente que a empresa está planejando competir em sua solução de pagamento com gigantes de pagamento chinesas como o Alipay, do Alibaba Group e o WeChat Pay, da Tencent Holdings. Marcus reconheceu a intenção durante a audiência sobre o Libra junto ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos em 17 de julho.

Em 8 de julho, o banco central da China anunciou que começou a trabalhar em sua própria moeda digital em resposta ao Libra do Facebook, pois ele poderia representar um risco para o sistema financeiro do país.