Tribunal antimonopólio do Chile ordena bancos a reabrirem contas de casas de câmbio cripto

A grande casa de câmbio de criptomoedas chilena, a Buda, persuadiu um tribunal a ordenar a reabertura de suas contas em dois grandes bancos chilenos, informou a Bloomberg em 25 de abril.

O tribunal antimonopólio do Chile publicou a decisão em seu site, ordenando que o banco estatal Banco del Estado de Chile e o Itaú Corpbanca reabram as contas da Buda enquanto a ação da casa de câmbio continua contra 10 bancos, incluindo os dois mencionados anteriormente. A Buda processou os bancos depois do que disse ser um fechamento "injustificado" de suas contas.

No início deste mês, um grupo de casas de câmbio no Chile entrou com uma ação legal contra a decisão dos bancos de encerrar suas contas. BudaOrionx e CrytpoMarket dizem que o sistema bancário tomou medidas unilaterais no Chile e que elas "matam toda a indústria".

Em entrevista à Cointelegraph, o CEO da Buda, Guillermo Torrealba, disse que, enquanto o Chile gostaria de mostrar-se aberto e liberal às novas tecnologias, a realidade é bem outra:

“O Chile está mostrando seu lado “B”, o de ser um país extremamente conservador, apesar de fazermos grandes esforços para o mundo nos ver como liberais”.

De acordo com Torrealba, apesar dos protestos na mídia e no Twitter, os bancos se recusam a responder. Ele diz que o poderoso setor bancário está tornando o ambiente para a criptomoeda pior do que Equador, Bolívia ou China.

Torrealba enfatizou que não há leis, normas ou legislação que impeçam as empresas de cripto de operar normalmente, ao contrário, o setor bancário, que assumiu o papel de regulador hegemônico:

"Não houve um regulador, legislador ou funcionário do governo dizendo que as criptomoedas não são legais, foi apenas a decisão de um setor muito poderoso da economia: o setor bancário".