Charles Hoskinson acha que a Cardano prevalecerá sobre o Libra nos mercados emergentes

O fundador da Cardano, Charles Hoskinson, afirmou que os mercados emergentes são onde as criptomoedas são importantes, e que a criptomoeda anunciada pelo Facebook, Libra, não encontrará sucesso nesta área, de acordo com um relatório da Finance Magnates em 26 de junho.

Segundo Hoskinson, os mercados emergentes são o futuro. Ele diz:

“Os mercados emergentes são onde criptomoedas são importantes [...] Quando olho para o mundo desenvolvido, não me importo. É altamente regulamentado e, em muitos casos, um sistema manipulado. Se eu decidir competir com uma empresa de tecnologia, eles podem me expulsar por meio de regulamentação. [...] Então eu me sento com o primeiro-ministro da Geórgia e ele diz: "estamos abertos para negócios". Podemos reconstruir partes de sua infraestrutura educacional , criar um novo sistema de pagamentos ou fazer um sistema de registros médicos . As chaves do reino estão bem ali. São 4 milhões de pessoas que em dez ou vinte anos serão usuários de muito alto valor ”.

Em contraste, Hoskinson previu uma luta pelo Facebook na promoção do Libra devido à sua falta de relacionamentos, que ele disse que precisam ser construídos ao longo do tempo, com base em benefícios tangíveis específicos para os mercados emergentes em questão. Em suas palavras:

“O Facebook precisa entrar em países sobre os quais não sabe muito e convencê-los a se escravizarem a um monopólio econômico e nada dar em troca. E seu único argumento é que você pagará menos pelas taxas. [...] Eu estou indo lá e dizendo, 'vamos reconstruir todos os seus sistemas para que você tenha registro de terra livre de fraude , melhores sistemas de votação e melhores cadeias de suprimentos '. Já estamos fazendo essas coisas, mas levou anos. Estes são mercados baseados em relacionamentos - e o Facebook não tem esses relacionamentos ”.

No entanto, como relatado anteriormente pela Cointelegraph, o objetivo declarado do Facebook com o Libra é:

“Nosso objetivo final é ajudar bilhões de pessoas com acesso a coisas que não têm agora - que poderiam ser coisas como saúde, serviços financeiros justos ou novas maneiras de salvar ou compartilhar informações.”

Outros grandes participantes do setor, como a Coinbase, promoveram os benefícios potenciais da criptomoeda para cidadãos nos países em desenvolvimento. Quando a exchange de criptomoedas adicionou suporte a 50 novas jurisdições em maio, a Coinbase fez a seguinte observação em seu anúncio oficial :

"Para novos clientes em países como Argentina e Uzbequistão, onde os preços ao consumidor devem aumentar de 10 a 20% em 2020, stablecoins como o USDC  podem oferecer uma oportunidade de proteção contra a inflação".