CEO do Banco BBVA: Blockchain "é imaturo e tem grandes desafios"

Carlos Torres, CEO do banco espanhol BBVA, disse que a tecnologia blockchain "não está madura" e enfrenta grandes desafios, informou o el Economista em 18 de junho.

Torres expressou suas preocupações sobre as limitações atuais do blockchain em um evento organizado pela Associação Espanhola de Jornalismo Econômico, que se concentrou nas perspectivas da tecnologia.

Segundo Torres, os principais desafios para o blockchain são a “volatilidade das moedas subjacentes” e possíveis problemas de compatibilidade com as autoridades fiscais e reguladores financeiros.

Apesar de seus desafios contemporâneos, Torres disse que as vantagens da tecnologia blockchain são tão importantes para seus negócios, que “quando ela estiver madura e os reguladores estiverem prontos”, o BBVA quer ter as ferramentas necessárias para aplicar a tecnologia em casos de uso relevantes, como empréstimos sindicados.

Torres acrescentou que, dado o potencial do blockchain, deveria haver espaços adequados, irrestritos, mas supervisionados, para o desenvolvimento da tecnologia.

O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA) é um banco do norte da Espanha, fundado em Bilbao no final do século XIX. De acordo com um relatório da Economipedia, o BBVA foi o segundo maior banco da Espanha em ativos e capitalização em 2017.

Em abril, o BBVA tornou-se o primeiro banco global a emitir um empréstimo usando a tecnologia blockchain. O BBVA conduziu todo o processo de um empréstimo de € 75 milhões, desde a negociação dos termos até a assinatura, em um livro distribuído.

A emissão do empréstimo usando a tecnologia blockchain supostamente reduziu o tempo necessário para completar o processo de “dias para horas”. Na época, Torres disse que o banco tinha “várias outras transações no futuro imediato”, e que o BBVA lançaria um programa piloto com a empresa espanhola de telecomunicações Indra. A Indra se descreveu como “na vanguarda” das aplicações do blockchain.