Banco Central do Brasil confirma e estabelece que Blockchain é parte do futuro da instituição

​O Banco Central do Brasil, tornou publico recentemente seu objetivo de modernizar os procedimentos da instituição usando novas tecnologias, entre elas, blockchain, conforme comunicado publicado pelo Bacen.

A  Agenda BC#, como foi nomeado o projeto, busca aliar inovação tecnológica a uma agenda microeconômica da instituição. "Ela norteará o trabalho do BC durante os próximos anos e está estruturada em quatro dimensões: inclusão, competitividade, transparência e educação financeira".

Dentro os quatro eixos divulgados pelo BC e que orientam a Agenda, blockchain esta inserido dentro de Competitividade.

"A dimensão Competitividade diz respeito à adequada precificação por meio de instrumentos de acesso competitivo aos mercados. As ações serão desenvolvidas tendo como parâmetros a inovação e a eficiência da alocação das reservas internacionais. Sobre inovações, o propósito é preparar o sistema financeiro para um futuro tecnológico inclusivo. Estão sendo desenvolvidos estudos e ações sobre pagamentos instantâneos, open bankingblockchain, inteligência artificial e supervisão do risco cibernético"

Ainda segundo a publicação a Agenda BC# tem como objetivo de destravar o crescimento do país e incentivar o aumento da participação do setor privado na economia.

"O trabalho é fruto da Agenda BC+, na qual avançamos muito em diversos temas. É importante pensar como nós do BC podemos contribuir para o crescimento sustentável da economia", afirmou o presidente do Bacen, Roberto Campos Neto.

Como reportou o Cointelegraph, a Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia, o Banco Central do Brasil, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Superintendência de Seguros Privados tornam pública a intenção de implantar um modelo de sandbox regulatório no Brasil. A iniciativa surge como uma resposta as transformações que vem acontecendo no mercado de capitas que tem impulsionado o surgimento de novos modelos de negócios com tecnologias como DLT blockchain.

"O uso de tecnologias inovadoras, como distributed ledger technology – DLT, blockchain, roboadvisors e inteligência artificial, tem permitido o surgimento de novos modelos de negócio, com reflexos na oferta de produtos e serviços de maior qualidade e alcance", disse o comunicado.