Cúpula dos BRICS: principais bancos dos Estados membros assinam memorando de entendimento sobre pesquisa em DLT

Cinco grandes bancos de cada estado membro do BRICS assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) sobre o desenvolvimento da tecnologia de contabilidade distribuída (DLT), de acordo com um comunicado de imprensa oficial em 26 de julho.

Durante a 10ª Cúpula Internacional dos BRICS em Joanesburgo, os bancos das economias emergentes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul concordaram com um estudo conjunto da tecnologia DLT como blockchain, “no interesse do desenvolvimento da economia digital”. BRICS Os países se reúnem anualmente desde 2009 para discutir iniciativas de cooperação econômica, cultural e política entre os Estados membros.

O Banco Corporativo Estadual de Desenvolvimento e Assuntos Econômicos Estrangeiros (Vnesheconombank), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Banco de Exportação-Importação da Índia, o Banco de Desenvolvimento da China e o Banco de Desenvolvimento da África Austral (DBSA) todos participarão do estudo.

O foco principal da 10ª Cúpula dos BRICS na África do Sul é a cooperação no desenvolvimento econômico “em face da quarta revolução industrial”, segundo o comunicado de imprensa. Mikhail Poluboyarinov, primeiro vice-presidente e membro do conselho do Vnesheconombank, disse sobre o memorando de entendimento:

"O acordo atual permite que os bancos de desenvolvimento dos países do BRICS estudem as aplicações de tecnologias inovadoras em finanças de infraestrutura e otimização de produtos bancários."

No início deste mês, o Banco da Reserva do Zimbábue (RBZ) iniciou seu próprio estudo da tecnologia blockchain, com o objetivo final de integrá-lo aos processos de negócios do banco. O governador da RBZ, John Mangudya, disse que o banco quer adotar a tecnologia para acompanhar as inovações do setor de blockchain em outros países.

Bancos em todo o mundo estão encontrando uma variedade de casos de uso e aplicações para a tecnologia.

Na semana passada, o Bank of America (BoA) registrou uma patente para um sistema baseado em blockchain que permite a validação externa de dados, e o Banco da Tailândia (BoT) está considerando a tecnologia blockchain para pagamentos transfronteiriços e proteção contra fraudes.