Empresa de tecnologia blockchain Blockstream lança versão beta da API de satélite para transmissão de dados

A Blockstream está lançando a versão beta de sua Blockstream Satellite API, projetada para ajudar os desenvolvedores a transmitir dados através da rede de satélites da empresa. O lançamento foi revelado no anúncio oficial publicado em 16 de janeiro.

A medida segue a expansão do serviço de satélite da empresa de dezembro, quando começou a transmitir a blockchain do Bitcoin (BTC) em escala global. A iniciativa Bitcoin "espacial" da Blockstream tem como objetivo liberar a rede de criptomoeda de depender da conexão à Internet baseada em terra e, assim, aumentar sua robustez.

O mais recente produto "de dados agnósticos" da Blockstream permite usar seus satélites para mensagens criptografadas, com usuários pagando pelo serviço através da rede de testes (testnet) Lightning, o que significa que a transmissão é gratuita no momento. Os desenvolvedores podem enviar mensagens por meio de uma API (interface de programação de aplicativos) RESTful, enquanto os usuários poderão enviar mensagens pelo site da Blockstream.

A equipe responsável pela Blockstream Satellite API limitou o tamanho máximo das mensagens, de modo que cada uma pode ser enviada em dez segundos. O anúncio observa ainda que os desenvolvedores devem usar sua própria criptografia, fragmentação e remontagem de grandes mensagens em casos de necessitarem transmitir dados maiores.

Como o produto tem visa a privacidade, somente um usuário específico ou um grupo de usuários pode decodificar os dados recebidos, que são enviados da Internet através de um meio de transmissão. Quando se trata de “pagar” pelo serviço, a Rede Lightning permite um nível adicional de privacidade, desconectando a fonte de pagamento do destino, observa o anúncio.

A Blockstream revelou seus planos para desenvolver sua rede de satélites pela primeira vez em agosto de 2017, alegando que gostaria de “conectar todo mundo no planeta” diante do que descreveu como penetração global limitada da Internet e liberdade on-line ainda mais limitada.

Na semana passada, a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos (NASA) propôs um sistema baseado em blockchain para gerenciamento de tráfego aéreo, que empregaria uma blockchain de permissão de código aberto para permitir comunicação segura, privada e anônima com serviços de tráfego aéreo.