Blockchain 'sem glúten' vai ajudar celíacos a saber a procedência dos produtos

Em busca de ajudar os celíacos, pessoas que tem intolerância ao glúten, um composto de proteína que está presente em tudo que seja produzido com trigo, cevada ou centeio, a IBM junco com a Associação Celíaca do Uruguai, e a BlockBear, desenvolveram uma ferramenta baseada em blockchain para rastrear produtos sem glúten, segundo reportagem do portal CIO

De acordo com os participantes do projeto, o objetivo é auxiliar pessoas com doença celíaca a obter informações sobre os componentes e a origem dos alimentos, permitindo que elas saibam quais produtos podem ser consumidos.

“A solução baseada na IBM Food Trust não apenas agrega valor aos próprios consumidores, mas também é um diferencial para as empresas produtoras e exportadoras, pois certifica o processo de ponta a ponta, desde matéria-prima, produção, distribuição até o ponto de venda, no Uruguai ou no exterior”, explica Luis Eirea, gerente de desenvolvimento de negócios da BlockBear.

Segundo a companhia, a solução conecta os dados de toda a cadeia de suprimentos de forma segura e transparente. Dessa forma, o consumidor tem acesso às informações e os produtores reduzem desperdícios e minimizar fraudes.

"Além disso, gera valor aos pontos de venda que têm especial foco no comércio de produtos de qualidade, autênticos, em boas condições e que desejam gerar uma experiência superior para o consumidor final", acrescenta Eirea.

Martin Hagelstrom, Líder da Blockchain para a IBM América Latina, afirma que o projeto fornecerá mais segurança em todas as transações, garantindo a rastreabilidade dos produtos ao longo de toda a cadeia.

“Isso é essencial para produtos que podem ser consumidos por pessoas com doença celíaca, porque rastreia a origem e as etapas que o produto percorreu ao longo da cadeia alimentar, assegurando que sejam alimentos realmente sem glúten sem afetar a saúde das pessoas."

A operação terá início no Uruguai, mas a BlockBear pretende expandir o sistema para outros países da América Latina. A solução também deve abranger outros públicos, incluindo diabéticos e veganos.

A IBM tem liderado mundialmente o uso de blockchain como ferramenta para rastrear a origem de produtos. Uma de suas principais iniciativas a Trust N Chain, tem como principal parceiro o Carrefour e no Brasil já rastreia a origem de diversos produtos, desde carne a laranja.

Como noticiou o Cointelegraph, recentemente a  IBM registrou uma patente para um sistema baseado em tecnologia blockchain para evitar o roubo de encomendas usando drones.

Segundo um registro publicada pela Autoridade de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO) em 12 de novembro, a IBM vai rastrear o trajeto dos drones usando um altímetro baseado em Internet das Coisas (IoT), enquanto acompanha continuamente os dados em uma plataforma blockchain segura.

Confira mais notícias