Blockchain redefine mercados emergentes: capital, ativos e títulos

Menos de 0,001 % do financiamento de tecnologia global foram para startups africanas em 2016. Não é segredo que empreendedores de mercados emergentes tenham mais dificuldades para conseguir financiamentos do que outros em mercados desenvolvidos. Entre as muitas razões para isso, estão os sistemas ineficientes de mercados de capitais que criam obstáculos para os empreendedores dos mercados emergentes, os quais acabam enfrentando muitas barreiras para chegar aos investidores cautelosos.

O fenômeno do "pulo de sapo" (leapfrogging)

Felizmente, as estratégias de equivalência de moeda (tokenização) e a "initial coin offering" (ICOs) podem redefinir mercados de capitais e como as startups emitem títulos e criam estruturas corporativas em mercados emergentes. Empreendedores e governos podem passar por cima de sistemas inflexíveis de mercados de capitais criados pelas economias de mercado desenvolvidas, criando mercados de capital baseados em tokens e que são flexíveis e acessíveis.

Saindo de praticamente zero acesso ao sistema de mercados de capitais, os empreendedores dos mercados emergentes podem se beneficiar de uma nova geração de investimentos democratizados e tokenizados em empresas privadas, o que pode ser possível pela implementação de estratégias das ICOs.

Os mercados de capital com tokens, se aplicados nos mercados emergentes podem acelerar com um pulo de crescimento para os ecossistemas das startups, colocando jovens empreendedores e seus negócios no centro do crescimento de seus países. Ele observa que apesar do potencial, as ICOs ainda estão em desenvolvimento e precisam encontrar o equilíbrio entre os sistemas existentes convencionais e os novos e inovadores tokenizados.

Existem duas formas principais em que os ICOs podem transformar os mercados de capitais e causar um salto no crescimento econômico nos mercados emergentes.

Incorporações digitais

Para que os mercados de capitais se habilitem para trabalhar com as Blockchains terão de passar por uma onda de inovação que trará progresso a empresas privadas e ao gerenciamento destas em geral. É caro, lento e ineficiente incorporar e gerenciar uma estrutura corporativa na maioria dos mercados emergentes. Na Nigéria, pode custar US$19 400 e levar dois meses para se incorporar uma empresa privada. Enquanto no Canadá, custa CAD$200 e leva 24 horas. Após a incorporação, o gerenciamento, taxas e relatórios da empresa são todos em papel e isso pode elevar os custos administrativos, o tempo gasto e o preenchimento dos vários relatórios necessários.

Ao criarmos incorporações digitais e softwares de incorporação e gerenciamento de empresas que dependem da tecnologia Blockchain e de contratos inteligentes, poderemos com segurança criar, gerenciar e administrar as atividades de uma startup. As estruturas corporativas digitais são um precursor natural dos títulos digitais em tokens e podem reduzir significativamente a barreira para a entrada de empreendedores em mercados emergentes. Isso pode economizar recursos e armazenar de forma segura propriedades intelectuais em estruturas corporativas. As incorporações digitais poderiam transformar a facilidade de se fazer negócios nos mercados emergentes. Como um exemplo da vida real, a República da Geórgia recentemente se tornou uma das top 10 na facilidade de se fazer negócios, graças às suas inovações recentes, incluindo um sistema mais eficiente de títulos de terra.

Imagine se a Nigéria criasse um sistema de registro corporativo semelhante, onde as empresas poderiam ser incorporadas em alguns minutos, com um clique e a um custo baixo? Este é o efeito pulo do sapo (leapfrogging) uma oportunidade súbita para reduzir as barreiras para à entrada no sistema econômico.

Títulos Tokenizados

De acordo com o relatório da Savills Global Research "Trends in Global Real Estate Market in 2016," (tendências no mercado imobiliário global em 2016), o valor total de capitalização do mercado imobiliário global é de aproximadamente US$217 tri. Isso equivale aproximadamente a 2.7 vezes do PIB global, 36 vezes o valor global da mineração de ouro (seis trilhões) e representa 60% dos principais ativos globais, fazendo do mercado imobiliário a melhor escolha de investimento para países, corporações e indivíduos.

O contrato inteligente e a tecnologia contábil distribuída permitem a conexão dos ativos e das instituições financeiras com eficiência. Essa tecnologia permite um sistema onde grandes recursos podem ser divididos e distribuídos para várias instituições financeiras através do contrato inteligente, permitindo aos usuários, através dessas instituições financeiras, investir em frações menores de imóveis. Esta tecnologia garante a não manipulação de processos, uma vez que se iniciam.

Um sistema mais versátil

As transações tradicionais requerem o cumprimento de uma série de etapas corporativas, modelos de contratos bem elaborados e toneladas de papel. Como tal, eles são rígidos e criam estruturas de capital ilíquidas para investidores e empreendedores. Os títulos tokenizados representam uma evolução para um sistema de títulos mais flexível, onde as emissões de ações podem acontecer com o clique de um botão.

A Blockchain e os tokens não tem fronteiras, e os títulos tokenizados podem formar a espinha dorsal de um mercado de ações global descentralizado. Este é um benefício especialmente para os empreendedores de mercados emergentes, onde os investidores e financeiras locais são mais escassos. Os tokens capacitam empreendedores com acesso a apoiadores de todo o mundo, democratizando o acesso ao financiamento para seus produtos.

Verdadeira inclusão financeira

A inclusão financeira é mais do que contas bancárias e depósitos de valor. Os mercados de capitais e a capacidade de incorporar e gerenciar com facilidade uma empresa podem facilitar as barreiras para a entrada de empreendedores e facilitar a construção de seus negócios. A tecnologia da Blockchain e ferramentas como os contratos inteligentes, oráculos e tokens descentralizados, criam a possibilidade de se criar um novo tipo de sistema de mercado de capitais em todos os países emergentes.

O artigo foi escrito por Marvin Hichem Coleby, um advogado especializado em tecnologia e um empreendedor das Bahamas.


Siga-nos no Facebook