Blockchain pode tornar operações de cartório mais barato no Brasil afirma presidente de grupo que une Google, Microsoft, IBM e Rede Globo

O Movimento Brasil Digital (MBD), anunciou Thiago Camargo, advogado e mestre em administração pública pela Columbia University, em Nova Iorque (EUA), como novo presidente-executivo da organização, conforme comunicado de imprensa compratilhado com o Cointelegraph em 19 de julho.

O MDB é um moivmento, criado em 2017 que busca promover o diálogo entre os setores público e privado, para construção de propostas que tragam tecnologia e inovação para o centro da estratégia do país.

No Brasil o MDB reune os prinpais players do mercado de telecomunicações e inovação, reunindo entre seus mantenedores, empresas  como Google, Microsoft, ArcelorMittal, Accenture, Cielo, Banco Itaú, Cisco, Ernest Young, Embratel, Fiap, Gol, Rede Globo, Grupo Pão de Açúcar, Intel, Oracle, IBM, entre outras.

A frente do MDB Camargo destacou o potencial da tecnologia blockchain para em revolucionar diversas áreas no Brasil,entre elas, a rede cartorial responsável por atestar a veracidade de documentos.

"A tecnologia blockchain tem tudo para ser uma revolução na maneira como gerenciamos a verdade. Em um país extremamente cartorial como o Brasil, é fundamental buscarmos opções para que o registro de informações fique mais barato e imune a possibilidades de fraude. Blockchain pode ser o caminho."

Sobre o cargo como presidente Camargo destacou, "Vamos apoiar o governo na construção de políticas públicas, gerando Informação baseada em benchmarking com outros países, além de fazer análises sobre a infraestrutura digital e o ambiente regulatório, propor mais discussão e juntar forças entre os setores público e privado para que o Brasil dê um salto de competitividade em período curto".

Adelson de Souza, presidente do Conselho do MBD, também celebra a nova presidência: "Estamos seguros de que Thiago tem as competências e os conhecimentos necessários para cuidar de todas as iniciativas do Movimento Brasil Digital".

Como reportou o Cointelegraph, a Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC) fechou parceria com o Blockchain Research Institute (BRI), A adesão da CCBC ao BRI é a primeira do tipo no Brasil e torna a Câmara a primeira organização brasileira a se associar a uma rede de conhecimento voltada apenas para o estudo do blockchain no Brasil e no mundo.