Empresa blockchain Algorand anuncia conformidade com a Sharia para participar de mercados islâmicos

A Algorand Foundation anunciou que sua plataforma blockchain agora é certificada para financiamento compatível com Sharia.

Segundo um press release de 21 de outubro, as instituições islâmicas agora podem usar a blockchain proof-of-stake da Algorand para negociações econômicas:

"As empresas islâmicas agora poderão aproveitar novas oportunidades de negócios em uma plataforma que é compatível com suas diretrizes financeiras".

Embora a Algorand tenha obtido a certificação para financiamento da Sharia, cada aplicativo descentralizado desenvolvido na Algorand precisará ser avaliado e verificado individualmente com relação à conformidade.

A Algorand Foundation diz que reconhece a importância dos mercados financeiros islâmicos para a economia global e, portanto, contratou a Shariyah Review Bureau (SRB) do Bahrein como consultora independente para garantir que a rede atenda à conformidade.

Empresas fintech e blockchain buscam compliance para a Sharia

A Cointelegraph noticiou em agosto que a empresa de fintech Wethaq, com sede em Dubai, fez uma parceria com a empresa de software empresarial R3 para criar uma plataforma construída na plataforma de blockchain empresarial da R3, Corda. A plataforma emitirá e negociará títulos Sukuk - certificados financeiros islâmicos semelhantes a títulos mobiliários.

O protocolo de ledger distribuído Stellar adquiriu um certificado de compliance para a Sharia na área de transferência de dinheiro e tokenização de ativos em julho do ano passado. A SRB examinou as capacidades e aplicações do Stellar e divulgou orientações que permitem às instituições financeiras islâmicas usar a tecnologia Stellar.

Em novembro de 2018, o Al Hilal Bank, com sede em Dubai, realizou sua primeira transação em Sukuk usando a tecnologia blockchain. O banco usou a tecnologia de registro distribuído “para vender e instalar no mercado secundário uma pequena parte de seus US$ 500 milhões em cinco anos de Sukuk".