Empresa blockchain de registro de arte adquire banco de dados com informações de 4 mil casas de leilão

A Artory, uma startup de registro de arte baseada em blockchain, adquiriu o banco de dados da casa de leilão Auction Club, de acordo com um tweet da Artory desta última quinta-feira, 21 de março.

O Auction Club é um banco de dados exclusivo que contém informações de vendas de mais de 4.000 casas de leilões internacionais.

De acordo com o jornal The Art Newspaper, o movimento irá tornar os dados de vendas do Auction Club - que reúnem informações de cerca de 250 empresas em 40 países - públicos pela primeira vez. Os dados estarão disponíveis no registro da Artory a partir de maio, afirma o relatório.

O CEO da Artory, Nanne Dekking - ex-vice-presidente da Sotheby's New York - foi citado na publicação dizendo: "Não poderíamos deixar passar esta oportunidade para adquirir rapidamente milhões de dados que podemos alavancar para melhorar nossos produtos."

Respondendo às preocupações expressas pela publicação de que a agregação de uma enorme quantidade de dados em uma empresa poderia contradizer a ideia da natureza distribuída da tecnologia blockchain, Paul Stabe, diretor de produtos da Artory, destacou:

A descentralização da blockchain é um benefício de segurança, não uma solução. E para o mundo da arte, ser capaz de alavancar a blockchain para fornecer acesso a dados confiáveis ​​que são gratuitos é um grande benefício.”

Em outubro de 2018, a Christie's - a casa de leilões com uma história de mais de 250 anos - anunciou um esquema piloto com Artory para usar blockchain para dados de leilão. A parceria propôs o uso da tecnologia para fornecer detalhes e certificados de compras aos clientes.

No outono passado, uma das galerias de arte mais famosas do mundo, a Galeria Estatal Tretyakov, em Moscou, na Rússia, lançou o projeto baseado em blockchain “My Tretyakov". O projeto permite que indivíduos e empresas façam doações privadas, conforme informado pelo Cointelegraph.