Grande galeria de arte russa Tretyakov lança projeto de patrocínio de arte baseado em blockchain

A prestigiosa galeria estatal Tretyakov, em Moscou, Rússia, está lançando um esquema de patronagem de arte baseado em blockchain, reporta a agência de notícias russa TASS em 15 de novembro.

O projeto, apelidado de "Minha Tretyakov", permite que indivíduos ou empresas façam uma doação particular para contribuir para a digitalização de um item da coleção da galeria, tornando-se assim o patrono da obra de arte.

O sistema, desenvolvido com a inovação empresarial coletiva RDI Digital, utiliza a tecnologia blockchain para atribuir e gerenciar a estrutura de patronagem. De acordo com um comunicado de imprensa da galeria:

"O valor da doação ainda está em discussão. O sistema seleciona aleatoriamente qual unidade de armazenamento (cópia eletrônica de um objeto de arte) será considerada digitalizada com a ajuda de um determinado usuário e vincula o nome ao objeto. A conexão do nome ou o nome da empresa para a exposição digitalizada é fixado usando a tecnologia blockchain[.]”

Uma apresentação da iniciativa Minha Tretyakov terá lugar hoje no local de negócios do VII Fórum Cultural Internacional de São Petersburgo e será lançada como “uma nova forma de envolvimento público na arte”.

Como reportado anteriormente, o leilão de arte em criptomoeda do mundo foi celebrado em junho na livraria Dadiani Syndicate, no Reino Unido, envolvendo a venda da propriedade fracionada das 14 Small Electric Chairs de Andy Warhol, no valor de US $ 5,6 milhões.

O leilão utilizou uma plataforma blockchain desenvolvida pela startup do Reino Unido e Cingapura Maecenas, sediada em Cingapura, especializada na criação de certificados digitais à prova de adulteração ligados a obras de arte em blockchain, que são então negociáveis em bolsa.

O Blockchain também tem sido usado no mundo da arte para verificar a proveniência, direitos autorais, propriedade, valorização e autenticidade das obras.