Bithumb anuncia resultados de auditoria externa de hack de US$ 13 milhões

exchange de criptomoedas sul-coreana Bithumb realizou uma auditoria externa profissional de seus fundos depois de um grande hack no mês passado, confirmou a empresa em comunicado em 11 de abril.

A Bithumb, maior exchange da Coreia do Sul, perdeu cerca de 14 bilhões de won (13 milhões de dólares) há duas semanas em um evento que os executivos acreditam ter sido idealizado por alguém de dentro da empresa.

Agora, a Bithumb usou um terceiro para avaliar suas reservas, repetindo suas garantias prévias de que os fundos dos clientes permaneciam seguros nas carteiras de armazenamento a frio.

Os 14 bilhões de tokens EOS (EOS) hackeados, segundo um comunicado anterior, representavam somente os fundos da empresa. Todos os fundos restantes em sua carteira foram transferidos para o armazenamento a frio após o hack.

“Declaramos que realizaremos uma diligência devida, justa e objetiva em todos os ativos que possuímos por meio de uma auditoria externa confiável”, diz a declaração, vinculando-se às estatísticas da firma contábil. A declaração prossegue:

"Temos o prazer de informar que os ativos valiosos de nossos membros são gerenciados e mantidos de maneira sistemática/segura por meio do relatório de devida diligência em anexo."

Como o Cointelegraph reportou, não é a primeira vez que o Bithumb lida com as dificuldades de segurança. Em agosto passado, uma grande invasão viu a perda de fichas no valor de até US$ 30 milhões.

Nesta semana, a bolsa relatou perdas anuais de quase US$ 180 milhões em 2018, com os hacks aumentando no ano como um todo, já que o Bitcoin (BTC) sofreu com um prolongado mercado de urso e um recorde de baixa e chegou a US$ 3.100.

Durante o mesmo período, as vendas aumentaram em 17,5 por cento, confirmou um porta-voz.