Bitcoin continuará 'vivo e bem', diz renomado investidor de mercados emergentes Mark Mobius

O veterano investidor de mercados emergentes Mark Mobius disse que acredita que as criptomoedas mostrarão resiliência devido à demanda contínua por novas formas de transferência de valores. Mobius deu a declaração durante entrevista à Bloomberg em 15 de maio.

Mobius é um investidor pioneiro e com experiência em nações em desenvolvimento e economias emergentes, ganhando reconhecimento internacional por seu trabalho de décadas na empresa de investimentos Franklin Templeton. No ano passado, ele se aposentou para lançar uma nova loja de gestão de ativos, a Mobius Capital Partners.

Depois de ter adotado uma posição cautelosa sobre as criptos, o investidor disse à Bloomberg ontem que acredita que a demanda global por transferências de valores sem atrito e privadas vai continuar a impulsionar os mercados e desenvolvimento de criptomoedas. Ele declarou:

"Existe definitivamente um desejo entre as pessoas do mundo de permitir a transferência de dinheiro de forma facilitada e confidencial, que é a base do Bitcoin e outras moedas do tipo, então acho que elas continuarão vivas e bem."

Mobius apesar disso não chegou a endossar abertamente o investimento em criptos, alertando para os riscos que ele acredita serem inerentes à sua estrutura descentralizada:

“Se eu vou investir nele é uma outra questão. Mas, por ele ter uma volatilidade incrível, no final das contas, você não pode rastrear um indivíduo ou grupo ou organização para acompanhar o que está acontecendo.”

Como um exemplo, Mobius fez alusão a uma exchange de Bitcoins baseada no Japão que “quebrou e perdeu milhões”. — talvez em referência ao grande colapso da exchange de Bitcoin (BTC) Mt. Gox no começo de 2014, que perdeu 850,000 BTC avaliados em cerca de US$ 460 milhões à época.

“Você tem que ser muito cuidadoso", ele disse, destacando que não possui investimentos em Bitcoin.

Por seu trabalho na Templeton, Mobius foi escolhido para atuar no Fórum Global de Governança Corporativa do Banco Mundial como co-presidente de sua força-tarefa de responsabilidade do investidor em 1999.

Cointelegraph já havia noticiado a resposta de Mobius para o endurecimento anti-cripto adotado pela China — notavelmente a proibição de setembro de 2017 de exchanges cripto e ofertas de moeda inicial — que ele considerou à época que iria levar investidores de volta ao ouro.