Preço do Bitcoin 'pode chegara $100' sem usos ilícitos, diz economista de Harvard

Um economista de Harvard disse a CNBC na terça-feira, 6 de março que o Bitcoin é "mais provável que vá aos $100 do que aos $100.000" até 2028. Falando aos repórteres durante uma edição do segmento Squawk Box da rede, o professor e economista Kenneth Rogoff implicou que o Bitcoin só teve valor por causa do uso em "lavagem de dinheiro e evasão de impostos".

"Eu veria $100 como sendo muito mais provável do que $100.000 dentro de dez anos", disse, continuando:

"Basicamente, se você tirar a possibilidade de lavagem de dinheiro e evasão de impostos, os usos reais do [Bitcoin] como um veículo de transação são muito pequenos".

Rogoff se junta a um número cada vez menor de figuras de finanças tradicionais, ainda mantendo uma firme posição anti-Bitcoin. Apesar dos negativos de alto perfil, como o CEO da JPMorgan, Jamie Dimon, mudando de opinião em suas opiniões negativas nos últimos meses, outros ficam altamente céticos.

No mês passado, o vice-presidente da Berkshire Hathaway, Charlie Munger, adotou um tom particularmente severo, dizendo ao público durante um discurso de AGM que o Bitcoin era "totalmente asinino" e que as pessoas que investem nele "causam desgosto" nele.

Apesar das perspectivas variadas sobre o desempenho dos preços, a implicação do Bitcoin no crime organizado passou por uma dúvida mais séria este ano. Apesar de a Europol este mês sugerir, tanto quanto $5,5 bilhões por ano são lavados por criptomoedas, o Bitcoin, em particular, perdeu o favor com os perpetradores, que supostamente preferem outros ativos anônimos, como Monero.

Enquanto isso, o Rogoff parece estar sozinho, sugerindo que a regulamentação forçará o preço do Bitcoin a diminuir, não enquanto muitos comentadores da indústria recebem os movimentos regulatórios como um passo para a aceitação e adoção em massa.