Peter Brandt: 'Preço do Bitcoin pode atingir US$ 5,5 mil em 2020'

O Bitcoin (BTC) pode passar meses sendo negocido a US$ 5.500 antes de se recuperar, alertou um dos analistas mais conhecidos do setor.

Em um tweet de 21 de novembro, Peter Brandt revelou que sua meta para o preço do Bitcoin era de US$ 5.500. A pressão negativa havia engolido os mercados, enviando o BTC / USD a mínimos de US$ 6.850.

Brandt: tamanho do bear market "pode ser surpresa"

O que acontece a seguir, ele argumentou, poderia continuar com essa tendência - e fazê-la durar mais do que o consenso geral sugere.

“Minha meta de US$ 5.500 não está muito abaixo da mínima de hoje. Mas acho que a surpresa pode estar na duração e na natureza do mercado ”, escreveu ele.

Brandt continuou:

"Estou pensando em uma baixa em julho de 2020. Isso desgastará os bulls mais rapidamente do que uma correção de preço."

Reduções de preço antes do halving

Caso esse status quo persista, ele contraria fortemente o humor atual entre os observadores do Bitcoin. Como o Cointelegraph informou, o popular modelo Stock-to-Flow para o preço do Bitcoin prevê uma média de US$ 8.300 para o BTC / USD até maio do próximo ano.

Nesse ponto, o halving -  metade da recompensa pela mineração do bloco - deve desencadear um mercado em alta. Na semana passada, o trader Tone Vays sugeriu que seu impacto deveria estar em evidência com vários meses de antecedência.

Vays, no entanto, admitiu que o Bitcoin pode cair ainda mais baixo do que Brandt antecipa - para cerca de US$ 4.500, valor que o estatístico Willy Woo disse que é inteiramente possível.

Desde o início da semana, o Bitcoin caiu mais de 15%. Segundo Woo, esse comportamento caracterizará os mercados daqui para frente.

“Espero muito mais volatilidade. E não espere que o preço repita os halvings do passado”, disse ele.

Em julho, quando o BTC / USD caiu abaixo de US$ 9.500, após sua alta de US$ 13.800, Brandt alertou que a criptomoeda deve sofrer perdas de até 80%. Isso a colocaria em apenas US$ 2.760.