'Queda não vai impedir BTC de atingir US$ 42 mil em 2019 e US$ 365 mil em 2021', diz CEO da Pantera Capital

Embora o preço do Bitcoin tenha apresentado dificuldades em segurar seu valor acima de US$ 10 mil sendo cotado, no momento da escrita, em US$ 9.700, isso não vai impedir que o criptoativo se recupere e seja negociado acima de US$ 42 mil, segundo previsão do CEO da Pantera Capital, Dan Morehead, compartilhada com o Unchained,  hoje 24 de julho.

“Faça um gráfico do preço da bitcoin logaritmicamente e sua tendência tem sido crescer a uma taxa de crescimento anual composta de 235%. Isso coloca a BTC em US$ 42.000 no final de 2019. Acho que é uma boa ideia que no final do ano nós acertamos isso ”

Morehead argumenta ainda que a tendência no preço do BTC é ainda mais otimista e, segundo ele, o principal criptoativo do mercado vai atingir US$ 122.000 até o final de 2020 e US$ 365.000 no final de 2021.

"Se você simplesmente extrapolar essa linha (logarítmica) para fora, por mais um ano é US$ 122.000  para o preço do BTC e, em mais um ano, US$ 356.000".

No entanto, analistas técnicos esperam que o bitcoin caia mais antes de retomar uma ascenssão motivado pelo fracasso do criptoativo em manter US$ 10.000. Como ressalta o trader Josh Rager, o BTC está imprimindo baixas cada vez menores no gráfico e altas cada vez mais baixas nos gráficos diários. Segundo ele, se a tendência continuar, o bitcoin pode cair em torno de US$ 8.975. 

Como reportou o Cointelegraph, o preço do Bitcoin (BTC) nas exchanges do Brasil caiu nesta quarta-feira (24) para um valor abaixo dos R$ 38.000, faixa de valor que a maior criptomoeda do mundo havia sustentado nos últimos dias. Depois de ceder ao suporte dos R$ 38.000, o Bitcoin chegou a ser negociado a R$ 36.089, sua mínima no dia, para chegar a R$ 36.401 às 16h12 de Brasília, acumulando queda de 4,09%.

O preço médio nesta quarta-feira entre as exchanges brasileiras é de R$ 37.387, e a máxima registrada em 24 horas é de R$ 39.000.