Bitcoin mais caro: 'Real já perdeu 8% de valor frente ao dólar e vai cair ainda mais, mas isso é bom', diz especialista

O Bitcoin deve ficar mais caro no Brasil em 2020 na medida em que o real deve perder valor quando comparado do dólar. É essa a visão de Márcio Appel, fundador da Adam Capital, um dos principais gestores de fundos do país.

Appel disse, em entrevista ao Infomoney, que esse movimento de desvalorização do real não deve assustar os investidores, pois é positivo. Segundo ele, a desvalorização do real "não tem nada de mais" e mostra um aquecimento da economia.

“Quando o Brasil cresce e o mundo arrefece, como agora, o normal é que haja desvalorização da moeda. Surpresa seria o inverso (...) nesse cenário, as exportações costumam diminuir e as importações, aumentar, o que eleva o déficit em conta corrente (...) Poderia ser diferente se houvesse um grande fluxo de recursos estrangeiros para o país, mas não é o caso (...) Além disso, existe o risco de o ambiente externo piorar, o que faria o real sofrer mais", destaca.

Para Appel o real, que já perdeu 8% de valor frente ao dólar deve ficar a R$ 4,50 quando comparado a moeda americana, “Não deverá ser um movimento explosivo, mas a tendência é essa”, diz.
Ainda segundo ele, a diferença de juros entre Brasil e EUA também acaba impactando o câmbio. Na medida em que o Brasil reduz os juros, investir no país acaba sendo menos interessante para estrangeiros.

"E o fato de muitas empresas estarem quitando suas dívidas em dólares para tomar empréstimos em reais (aproveitando os juros mais baixos) – o que é um movimento positivo, mas, no curto prazo, contribui para a desvalorização do real", destaca.

Enquanto o dólar está sendo cotado acima de R$ 4 frente ao real, o Bitcoin, segundo dados do Cointrademonitor, está avaliado em R$ 31.400 no país e, segundo analistas gráficos, a tendência ainda é de baixa.

"O preço do Bitcoin encontrou temporariamente um fundo entre US$ 6.500 e US$ 6.800. Desde essa formação inferior, é definido um intervalo entre US$ 6.800 e US$ 7.800, no qual a área de US$ 7.800 é a zona de resistência superior. Durante a queda de US $ 8.400 para US $ 6.500, o preço começou a acelerar, o que causou um aumento no volume. No entanto, em que o preço está dentro de um intervalo, o volume geralmente diminui e desaparece. A conseqüência é que o estranho padrão “Bart Simpson” acontece e ocorrem grandes liquidações", destacou o analista Michaël van de Poppe.

Como noticiou o Cointelegraph, segundo Rakesh Upadhyay, analista gráfico, os bulls estão tentando manter o Bitcoin (BTC) acima de US$ 7.000. Este é um sinal positivo, pois mostra que os compradores não estão esperando uma correção mais profunda. Se os bulls puderem levar o preço acima de US$ 7.856,76, isso sinaliza força.

"Contrariamente à nossa suposição, se o par BTC / USD reverter a direção dos níveis atuais, ou da linha de tendência de baixa, e cair abaixo de US$ 6.512,01, a tendência de baixa será retomada. Um colapso para novos mínimos anuais será um enorme negativo e prejudicará o sentimento", disse.

Confira mais notícias