Bitcoin cai mais 6% e desvalorização já chega a mais de 20% em 48 horas; 'US$ 7.337 é ponto-chave', aponta trader

O preço do Bitcon desabou mais 6% durante o dia e a desvalorização da principal criptomoeda do mercado já chega a mais de 20% na semana. O movimento de queda começou na terça-feira, 24 de setembro, após a fraca recepção do mercado em relação ao lançamento dos contratos de Bitcoin futuro da Bakkt, a plataforma de negociação de criptoativos da Bolsa de Valores de Nova York.

A queda brusca de terça-feira começou 13:49 UTC e levou o Bitcoin abaixo de US$ 8.500, na quarta-feira, o mercado negociou lateralmente apresentando leves quedas, entretanto, em 26 de setembro, o BTC ensaiou uma pequena recuperação chegando apresentar alta de 2%, mas o movimentou durou pouco e uma nova queda, acima de 6% foi registrada. No momento o BTC é negociado a US$ 7.915.

"Não é fácil identificar a razão exata do início da queda. Alguns especuladores podem ter construído posições esperando que os preços subissem após o lançamento da Bakkt. No entanto, quando isso não aconteceu, eles começaram a fechar seus negócios com extrema rapidez. Como resultado, níveis importantes de suporte caíram e o restante dos traders foram forçados a fechar suas posições compradas", destacou Rakesh Upadhyay, analista do Cointelegraph.

Entretanto, segundo Upadhyay, outra possibilidade é que a fuga para ativos mais seguros, após a notícia de uma investigação de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, possa ter resultado na rápida queda.

Para o especialista, o próximo suporte negativo é de US$ 7.451,63, embora, para ele, os investidores não devem entrar em pânico, pois a criptomoeda ainda pode se recuperar.

"Mesmo que o par BTC / USD caia para US$ 7.337,78, será apenas uma retração de 61,8% de Fibonacci no rali, da baixa de US$ 3.236,09 para a alta de US$ 13.973,50. Embora seja uma correção profunda, os comerciantes não devem entrar em pânico, porque se os bulls puderem deter o declínio entre US$ 7.451,63 e US$ 7.337,78, o par ainda poderá se recuperar.

No entanto, se os bears baixarem o preço e sustentarem abaixo de US$ 7.337,78, o sentimento enfraquecerá ainda mais e uma recuperação rápida estará em perigo. Com a queda recente, o RSI mergulhou profundamente no território de sobre-venda, o que indica que é possível uma recuperação. Qualquer retração enfrentará resistência em US$ 9.080 e acima no triângulo simétrico. A ação de preço dos próximos dias nos dará uma idéia melhor se essa queda é uma boa oportunidade de compra", disse.

Como noticiou o Cointelegraph, novas pesquisas esta semana aumentaram as suspeitas de que as datas de liquidação dos futuros acabem manipulando o preço do Bitcoin (BTC). De acordo com as descobertas da Arcane Research as datas de liquidação de futuros de Bitcoin do CME Group, em particular, parecem influenciar negativamente os mercados de BTC.

Analisando o comportamento dos preços de janeiro de 2018 a agosto de 2019, a empresa constatou que 75% das vezes imediatamente antes de o CME fazer pagamentos, o Bitcoin caiu.

O CME foi uma das primeiras operadoras a lançar futuros de Bitcoin em dezembro de 2017. Desde então, os juros atingiram o pico, com os volumes de negociação quebrando recordes históricos consecutivamente.

A Arcane publicou os números poucas horas antes de o Bitcoin ter despencado 15%, chegando a US$ 8.000. Esse evento ocorreu dias antes de uma grande data de liquidação: na sexta-feira, 50% dos juros em aberto nas opções de Bitcoin vão vencer.