Incrédulos no Bitcoin "estão tendo dificuldade" em continuar em dúvida, diz executivo da Nexo

Antoni Trenchev, cofundador e sócio-gerente da startup de empréstimos em criptomoeda Nexo, disse que os pessimistas do Bitcoin (BTC) estão tendo dificuldades em uma entrevista à CNBC publicada em 25 de junho.

Durante a entrevista, Trenchev apontou que o Bitcoin foi dado como morto mais de over 300 (90 delas só no ano passado) e “se reergue de suas cinzas mais uma vez". Assim, ele concluiu:

"Sabe, eu acho que os que duvidam estão tendo dificuldades para continuar nessa."

Antes, Trenchev também explicou que ele acredita que as razões por trás do aumento do Bitcoin são o aumento da participação institucional e a turbulência geopolítica (provavelmente fazendo referêcia à guerra comercial entre EUA e China). Ele também disse:

“[Durante] o mercado em baixa de 2018, vimos até mesmo os proponentes mais ardorosos se tornarem céticos em algum momento e esse geralmente é o ponto de inflexão a partir do qual, você sabe, os ativos reaparecem novamente, mas eu acho que é realmente o apoio institucional e as implicações que ele tem em termos de adoção em massa.”

Trenchev também sugeriu o Libra do Facebook e o JPMCoin do JPMorgan como catalisadores adicionais responsáveis ​​pelo rali atual, juntamente com notícias sobre a grande empresa de serviços financeiros Fidelity que se uniu ao espaço, além do fundo de doações de Yale que agora está investindo em cripto. Todos esses fatos, de acordo com ele, são sinais de que as pessoas estão percebendo que o Bitcoin veio para ficar.

Como o Cointelegraph informou mais cedo, Jeremy Allaire, cofundador e CEO da Circle, acredita que criptomoedas não-soberanas, como Bitcoin, continuarão a crescer apesar da proliferação de novas formas de ativos digitais como o Libra do Facebook e as stablecoins.

Também hoje, saiu a notícia que o principal analista de mercado da ThinkMarkets, Naeem Aslam, prevê que o Bitcoin atingirá algo entre US$ 60.000 e US$ 100.000 na próxima corrida de touros.