Programador de Bitcoin defende uso de 'cofres' na rede para aumentar segurança de cold storage

O colaborador do Bitcoin Core e consultor de criptomoedas Bryan Bishop defendeu a idéia de criar um mecanismo que funcionasse como um 'cofre', que gerasse um atraso sempre que alguém movimente Bitcoins armazenados em carteiras frias. Segundo o desenvolvedor publicou em um tweet, isso poderia aumentar a segurança em grandes transações do ativo digital.

Segundo Byshop, alguém que possua Bitcoin principalmente como uma reserva de valor poderia colocá-lo em uma carteira fria, ou mantê-lo offline, protegido um código que diz que a quantidade pode ser gasta, mas não imediatamente.

O proprietário poderia definir um atraso de tempo pré-determinado para qualquer tentativa de movimentar as moedas. O atraso daria a chance do dono reverter uma transação, caso suas informações pessoais forem comprometidas e alguém tentasse roubar seus fundos.

Os desenvolvedores Malte Möser, Ittay Eyal e Emin Gün Sirer propuseram esse recurso, conhecido como “cofre”, como uma maneira de proteger melhor o Bitcoin em 2016, mas sua proposta exigia uma bifurcação da base de código do protocolo. Porém, esse "fork" nunca aconteceu.

Apesar disso, o desenvolvedor de BTC Bryan Bishop enviou um projeto para os desenvolvedores para realizar a mesma alteração sem a necessidade de bifurcação da rede.

Em um e-mail intitulado “Cofres de bitcoin práticos com mecanismos de recuperação / recuperação de roubos”, Bishop escreve:

“Os cofres são particularmente interessantes como mecanismo de segurança de armazenamento fracionado de Bitcoin porque permitem um período de atraso publicamente observável durante o qual um usuário pode ser alertado por uma 'vigilância' de que um ator malicioso pode estar tentando roubar suas moedas.”

Na proposta de Bishop, se um "período de desbloqueio" fosse iniciado, um proprietário poderia escolher reagir ou não à tentativa de movimentação dos fundos.

Em seu email, Bishop escreve:

“A ideia é ter uma sequência de transações pré-assinadas pré-geradas que são geradas de uma determinada maneira. Os componentes básicos são uma transação de compartimentação que bloqueia moedas em um cofre, uma transação de gasto atrasado que é a única maneira de gastar de um cofre e uma transação de re-vaulting que pode recuperar moedas da transação de gasto atrasado.”

A proposta de Bishop também tem várias opções para abordar outros cenários, para usuários mais sofisticados. Segundo o programador, esta nova funcionalidade poderia ajudar em casos de hack de exchanges. Se as exchanges hackeadas pudessem desfazer transações maliciosas, muito problemas seriam evitados neste mercado.

Bishop disse que sua proposta não exigiria qualquer tipo de bifurcação como a proposta anterior fez. A proposta dependeria de funções de bloqueio de tempo existentes que já estão embutidas no código do Bitcoin.

Além de ser um sistema financeiro novo e descentralizado, o Bitcoin é um software. Como todo software, o código da rede Bitcoin vêm sendo atualizado e aprimorado constantemente. Entenda como funciona o desenvolvimento do Bitcoin na matéria do Cointelegraph.