Braço de caridade da Binance lança campanha de refeição escolar com blockchain

O braço de caridade da maior cripto exchange do mundo, a Binance, lançou seu programa piloto de baseado em blockchain para o fornecimento de refeições em escolas na África, de acordo com uma publicação desta quinta-feira, 21 de fevereiro.

A Fundação Binance de Caridade (BCF na sigla em inglês) lançou sua campanha de caridade “Almoços para Crianças” - em tradução livre - na capital de Uganda, Kampala. De acordo com o programa, a organização está preparada para fornecer duas refeições por dia durante todo o ano de 2019 para mais de 200 alunos e funcionários de escolas.

O piloto em Uganda é parte de uma campanha maior da Binance que pretende beneficiar 1 milhão de estudantes em escolas de outros países, como Ruanda, Quênia e Etiópia.

De acordo com a publicação, a campanha foi anunciada pela primeira vez durante a semana Binance Blockchain realizada em Singapura em janeiro passado. O sistema de doação do BCF é baseado em blockchain. 

Segundo o comunicado, a arrecadação de doações foi oficialmente iniciada em uma cerimônia com a participação de mais de 500 pessoas. O Zcoin, empresa de blockchain orientada para a privacidade, e a organização sem fins lucrativos Dream Building Service, sediada no Quênia, também participaram da cerimônia.

A equipe do Zcoin e seus principais investidores doaram US$ 24.000 em criptomoedas para apoiar os alunos e funcionários da escola no Centro de Aprendizagem Jolly Mercy em Kampala, onde o evento aconteceu.

A ministra de Estado de Educação Primária da Uganda, Rosemary Nansubuga Seninde, reforçou que o programa não é apenas uma doação, mas também garante a proteção contra a corrupção potencial de terceiros.

A Binance lançou seu braço de caridade em outubro de 2018. A iniciativa foi apoiada na época por uma doação de US$ 3 milhões da Fundação Tron.

No final de 2018, o BCF anunciou um novo canal de caridade na sua plataforma com o objetivo de apoiar doentes terminais e crianças em situação de pobreza em Malta e Gozo.

Recentemente, a Associação ALS fez uma parceria com a Fundação Tron para lançar uma campanha com blockchain de arrecadação de doações para pesquisas em tratamentos para a esclerose lateral amiotrófica (ELA).