Vigilante financeiro da Bélgica atualiza lista negra de golpes cripto para um total de 113 sites

A Autoridade de Serviços Financeiros e Mercados da Bélgica (FSMA) atualizou sua lista negra de fraudes relacionadas a cripto para incluir um total de 113 sites, em um novo alerta divulgado em 18 de dezembro.

A autoridade afirma que “apesar de” suas advertências anteriores, continua recebendo reclamações de investidores fraudados. As plataformas recém-adicionadas são supostamente comandadas por "fraudadores [...] que estão usando criptocorrências para enganar os consumidores", com a FSMA reiterando:

“O princípio continua o mesmo: eles oferecem um investimento que eles afirmam ser seguro, fácil e muito lucrativo [...] Eles afirmam ter especialistas que irão gerenciar seus investimentos para você. Você é informado de que seus fundos podem ser retirados a qualquer momento [...] No final, o resultado é sempre o mesmo: as vítimas se encontram incapazes de recuperar seu dinheiro!”

A agência observa que a lista atualizada não é abrangente e foi montada em particular com base nos relatórios das vítimas. A advertência apela ao público para levantar quaisquer dúvidas sobre outras entidades relacionadas com a cripto possivelmente suspeitas que operam ilegalmente na Bélgica.

A FSMA também aconselha os leitores a consultar suas advertências anteriores de 22 de fevereiro de 201826 de outubro de 2018 para entender melhor a natureza dessas fraudes. Como relatado anteriormente, o FSMA incluiu uma nova faixa de 28 sites aparentemente fraudulentos em setembro deste ano.

O FSMA da Bélgica se junta aos reguladores globais e agências governamentais na tentativa de proteger os investidores por meio da educação. Em maio deste ano, um estudo conduzido pelo governo chinês detectou 421 criptomoedas falsas, isolando três características-chave de perfis fraudulentos de moeda digital.

Também nesta primavera, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) criou um site para uma falsa oferta inicial de moedas (ICO) que atraiu os visitantes com uma “boa oportunidade de investimento”. A agência alegou ter identificado na maioria das ICOs fraudulentas - e redirecionou qualquer pessoa que tentasse comprar os tokens substitutos para uma página educacional no site da própria SEC.