'Vamos nos permitir mais controle com pagamentos na blockchain', diz Banco do Camboja

Serey Chea, presidente assistente do Banco Nacional do Camboja, disse que os pagamentos na blockchain permitirão maior controle financeiro e eficiência de remessa em uma entrevista à CNBC publicada em 22 de outubro.

Chea disse que o Banco Nacional do Camboja experimentou pagamentos domésticos na blockchain para o varejo, mas o principal interesse é testá-los para transações transfronteiriças. Ela observou que a instituição tem colaborado com o banco malaio Maybank.

Já foi relatado recentemente que o Maybank assinou um memorando de entendimento com o Banco Nacional do Camboja sobre pagamentos e remessas internacionais de blockchain, embora os detalhes da parceria não tenham sido revelados à época.

Redução das taxas para trabalhadores domésticos no exterior

Ela também explicou que muitos trabalhadores domésticos cambojanos residem na Malásia e a taxa aplicada às transferências de dinheiro que esses trabalhadores mandam para casa é geralmente de pelo menos 10%.

O objetivo do projeto é permitir taxas muito mais baixas, além de permitir que as remessas sejam realizadas em tempo real.

Além disso, ela explicou que o sistema também permitiria que esses trabalhadores enviassem o dinheiro diretamente para empresas de serviços públicos, escolas e similares do Camboja. A intenção é permitir um maior controle sobre o dinheiro, em vez de depender do beneficiário da transferência para gastar o dinheiro, conforme recomendado.

Como o Cointelegraph relatou em julho, o UnionBank, nas Filipinas, concluiu com êxito um projeto piloto de uma remessa transfronteiriça baseada em blockchain das Filipinas para Cingapura.