Banco Central cancela operações do Banco Neon, ex-parceiro da Ripio e da FoxBit

O Banco Central do Brasil determinou no último dia 10 de dezembro o cancelamento das operações do Banco Neon, que já foi parceiro das exchanges Ripio e FoxBit através da Neon Pagamentos, devido a "graves violações às normas legais e regulamentares". A notícia é do portal TechTudo.

O BACEN já havia determinado, em agosto de 2018, a liquidação da fintech Neon Pagamentos, parceira do Banco Neon, uma das poucas parceiras de exchanges brasileiras para permitir compra e venda de moeda digital sem custo de transferência bancária.

Diz a nota:

”O Banco Central está adotando todas as medidas cabíveis para apurar as responsabilidades, em observância às suas competências legais de supervisão do sistema financeiro. Nos termos da lei, ficam indisponíveis os bens dos controladores e dos ex-administradores da instituição”.

A determinação não especifica as irregularidades que levaram ao cancelamento e diz que a decisão não tem relação com a Neon Pagamentos, era de propriedade do Banco Neon até maio de 2018 antes de ser liquidada por determinação do BACEN, que oferece abertura de contas digitais e cartões pré-pagos.

Hoje, as empresas possuem nomes e CNPJs diferentes, com o nome “Banco Neon SA” adotado pela gestão do Banco Pottencial após uma joint venture feita entre ele e a Neon Pagamentos, hoje operando sobre a estrutura bancária do Votorantim, que é conhecida por apoiar a adoção financeira digital - incluindo parcerias com exchanges de moedas virtuais como o Bitcoin.

No site Konta Azul, a Neon Pagamentos confirma que não possui mais vínculos com o Banco Neon SA desde agosto de 2018, quando foi liquidada por decisão do BACEN:

“A fintech Neon Pagamentos não tem nenhuma relação com o Banco Neon SA (antigo Banco Pottencial), que teve o cancelamento da autorização para funcionamento confirmado nesta terça-feira, 10, pelo Banco Central.

As duas empresas, que sempre tiveram CNPJs diferentes, foram parceiras até maio de 2018, quando o Banco Central liquidou o Banco Neon SA, medida que não causou nenhum dano maior à operação das contas digitais da fintech Neon Pagamentos.

A legislação brasileira exige que empresas de tecnologia firmem acordos com bancos caso queiram operar no sistema financeiro. Então, apenas três dias após a liquidação do BC, a fintech Neon Pagamentos fechou uma nova parceria, desta vez com o banco Votorantim.

Desde então, a Neon Pagamentos atingiu cerca de 2 milhões de contas digitais e continua lançando produtos para facilitar a vida dos seus clientes”.