Startup argentina cria plataforma blockchain para permitir que produção de carne seja 'descomodificada'

A startup argentina Carne Validades está desenvolvendo um serviço baseado em blockchain para rastrear a cadeia de fornecimento de carnes da empresa. A notícia foi publicada em 23 de julho pelo site BeefPoint.

O cofundador da empresa, Diego Heinrich, diz que com a plataforma blockchain os "consumidores podem ver o 'Curriculum Vitae' da carne que comem: o que, quem, onde e como foi produzido".

Com o novo serviço, ele espera "melhorar a transparência e a eficiência, compartilhando informações e controlando as transações dos registros. Hoje, isso não se aplica em nosso país".

Segundo Heinrich, a indústria de carne argentina não tem comunicação integrada, o que leva produtores e atores da cadeia de suprimento a empregarem "enormes esforços para melhorar os sistemas de produção".

O cofundador da Carnes Validades ainda explica que na blockchain os registros de transação do gado não são centralizados:

"À medida em que o animal é trocado de um usuário para outro, ele é marcado no tempo e criptografado, criando uma história completa de toda a atividade da vida do animal".

A blockchain armazena o histórico de vacinação, histórico alimental e peso do animal, além de informações sobre pontos de venda e transporte, acessíveis para qualquer ator da cadeia.

A publicação ainda afirma que os cofundadores da Carne Validades, Diego Heinrich e Nicolas Balestrini, são veteranos da indústria agroalimentar na Argentina, com passagens por outras grandes empresas ligadas ao agronegócio do país.

Heinrich completou:

“Ter informações sobre a produção de cada corte de carne permitirá que a carne seja 'descomodificada' e, assim, seja capaz de oferecer carne com maior valor agregado [que é] diferenciada pela origem, boas práticas de manejo e sustentabilidade.”

A Carnes Validades fechou uma primeira rodada de investimento de US$ 120.000, com 23 investidores participantes, e agora prepara-se para lançar uma rodada de financiamento de Série A até o fim do ano.

Esta não é a primeira iniciativa envolvendo rastreamendo de cadeia de suprimentos em blockchain na indústria alimentícia. Como noticiou o Cointelegraph no fim de junho, o Walmart China vai rastrear alimentos de sua cadeia de suprimentos da blockchain Thor, da Vechain.