Governo argentino faz parceria com Blockchain Research Institute

O Blockchain Research Institute (BRI) revelou em um comunicado divulgado na última terça-feira, 2 de abril, um novo acordo com o governo da Argentina. A parceria permitirá às autoridades argentinas acesso a inúmeros recursos relacionados às criptomoedas para o desenvolvimento dos vários projetos blockchain em andamento no país.

A iniciativa entre o governo argentino e a BRI fornecerá ao país acesso a mais de 100 projetos de pesquisa, webinars e outras entregas exclusivas, bem como a programas e eventos ao lado de grandes corporações, governos, organizações sem fins lucrativos e membros da comunidade de startups.

O anúncio é o resultado de reuniões em novembro de 2018 entre o presidente executivo da BRI, Don Tapscott, o presidente argentino, Mauricio Macri e Andrés Ibarra, vice-chefe de gabinete da presidência. Ao se juntar ao grupo blockchain, funcionários do governo também ajudarão a criar um "Centro de Excelência do Instituto de Pesquisa Blockchain" no país.

Os centros de excelência constituem uma tentativa maior entre a WISekey International Holding e a BRI, atuando como centros de inovação, de acordo com o CEO da WISekey, Carlos Moreira. Após a criação de um instituto de pesquisa em Buenos Aires, Suíça, Índia e Ruanda devem receber projetos similares.

A Argentina não para de avançar quando se trata de criptomoedas. Antes de anunciar a entrada no BRI, o  governo vizinho ao Brasil fez uma parceria com a Binance, uma das maiores bolsas de criptomoedas do setor. Por meio de seu braço de venture capital, a Binance Labs oferecerá uma doação de US$ 50.000 para cada um dos projetos em que o Programa Acelerador da Argentina investir.

Os cidadãos argentinos têm desfrutado do convívio diário com o Bitcoin com a chegada de vários caixas eletrônicos com BTC em 2017, bem como a decisão recente do sistema de transporte público que passou a aceitar a criptomoeda como meio de pagamento.

Em fevereiro de 2019, o Sistema Único de Boleto Eletrônico (SUBE) anunciou que permitirá aos passageiros de ônibus e metrô o pagamento pela recarga de seus cartões SUBE com Bitcoin. O serviço está disponível em 37 cidades na Argentina e pode impactar na adoção da cripto no país.