Pós-BlockShow: Como a Teoria do Fork da Achain funcionou na vida real

Faz menos de um mês que a Achain apresentou sua Teoria do Fork na BlockShow Asia 2017. O projeto lançou recentemente o ABitcoin (ABTC) de velocidade da luz e o Acute Angle Coin (AAC), o token do serviço de computação em nuvem global.

A Achain é a plataforma pública de Blockchain que permite aos usuários de qualquer nível de habilidade emitir tokens, contratos inteligentes, criar aplicativos e sistemas Blockchain. Sua teoria do fork é uma tentativa ousada de ajustar a técnica atual de bifurcação de moedas (forking) para um objetivo final de inovação tecnológica, em vez de somente lucros financeiros, levando a indústria Blockchain da exclusividade mútua para a arena das colaborações abertas. Este sistema exigiria um processo de solicitação, aprovação e execução de mútuo acordo dos participantes. A recém-criada subcorrente terá sua forma de consenso, armazenamento de dados e capacidade de bloco disponíveis para personalização gratuita.

Como começou

Em 23 de novembro o fundador da Achain, Tony Cui, fez uma postagem no BitcoinTalk Forum revelando o quadro básico da Teoria do Fork que tinha acabado de ser criada na chain-split (divisão de corrente). O propósito de Cui nessa publicação era reunir os feedback do público para a preparação para a sua conferência, que foi posteriormente apresentada na BlockShow Asia 2017.

A publicação incluiu vários pontos importantes destacando os principais aspectos da teoria. De acordo com Cui, um desenvolvimento como este se faz necessário pela preocupação permanente das qualificações técnicas que restringem a acessibilidade do Blockchain aos mercados comerciais de massa. Tony Cui comentou:

"Como os novos desenvolvedores podem desenvolver rapidamente aplicativos Blockchain seguros? E aonde eles poderiam começar a encontrar seus primeiros clientes?"

Inspirado pelas tendências recentes de fork do Bitcoin, a teoria de Cui propôs uma coexistência de uma corrente principal e várias subcorrentes derivadas da principal. A primeira está comprometida com a infraestrutura básica do Blockchain, enquanto a(s) seguinte(s) pode(m) ser personalizada(s) para as diversas necessidades de suas aplicações.

A teoria

A Teoria do Fork da AChain é a tentativa atrevida de uma empresa de engrenar a atual técnica de forks para um objetivo final da inovação tecnológica em vez de apenas lucros financeiros. Para novos desenvolvedores de futuras aplicações do Blockchain, resolve o problema da sua falta inicial de clientes, uma vez que as subcorrentes herdam o reservatório de usuários existentes diretamente do banco de dados da corrente principal. Além disso, evita disrupções nas comunicações, já que todas as informações e troca de valor serão compartilhadas entre todas as correntes após um VEP (Value Exchange Protocol - Protocolo de Troca de Valor, em tradução livre) universal. Finalmente, a teoria exige que o tipo de fork - seja ele hard ou soft - seja considerado de acordo com os cenários exigidos por cada aplicação e seja votado pela ampla maioria da comunidade Achain.

ABitcoin, aproximando-se da velocidade da luz

O ABitcoin foi bifurcada do alto do bloco 498888 do BTC em 12 de dezembro e iniciará uma bifurcação em 1498888 no ACT em 12 de janeiro de 2018. Ela herda o algoritmo de consenso DPoS da Achain e possui contratos da velocidade da luz de meganível TPS com transação de 0.00001 USD taxa. Orientado para o futuro tecnológico, a ABitcoin se esforça para integrar conceitos de IA, Big Data, indústria de jogos e Internet das Coisas na aplicação Blockchain e protegem totalmente contra ataques quânticos até 2019.

Tendo melhorado a taxa de operação e a performance de movimento da rede do contrato inteligente, o ABitcoin representa uma plataforma Blockchain+ que é livre de barreiras. Até o final de 2018, ele completará a descoberta automática e organização de clusters para melhorar as taxas de concorrência.

A plataforma de contratos inteligentes será lançada em janeiro de 2018. Os titulares de BTC obterão a ABTC em um índice de 1 para 100 e aqueles que possuem ACT a 1 por 1.

Acute Angle Cloud: a experiência IaaS impulsionada pelo Blockchain

da Acute Angle Cloud é uma plataforma IaaS distribuída globalmente. Sua plataforma de serviços de computação em nuvem engloba o Acute Angle PC, a Acute Angle Chain e o sistema IPFS. O projeto planeja alcançar seu objetivo através da Acute Angle Chain, da Acute Angle Cloud 1.0 e da Acute Angle Cloud 2.0.

A Acute Angle PC foi lançada em seu site oficial em 12 de dezembro. Ela é um host universal baseada no armazenamento de protocolo de hipermídia IPP P2P e no gerenciamento de ativos digitais da Acute Angle Chain. Ela pode formular um sistema de recompensas para todos os usuários de acordo com o contrato inteligente. Ela difer muito do dispositivo OneCloud lançado anteriormente pela Xunlei. A Acute Angle PC funciona como um PC de verdade, o que significa que a mineração será implementada automaticamente uma vez que os usuários iniciem o sistema. Sua moeda digital Acute Angle Coin pode ser obtida através do compartilhamento de espaço ocioso tanto em disco como de largura de banda, proporcionando aos usuários uma experiência de mineração privada eficiente.

Victor Gao, fundador da Acute Angle Cloud, possui 17 anos de experiência em PC, definição e desenvolvimento de produtos de hardware inteligente, produção de cadeia de suprimentos e gerenciamento de marketing de marca. Ele mostra otimismo em construir um novo ecossistema de comunidade Blockchain com a Achain e promover o avanço da tecnologia da informação humana a serviço da sociedade.

Tony Cui, o fundador da Achain, observou que o Blockchain remodelou cenários de negócios atuais, removeu o desnecessário intermediário e otimizou a eficiência e o custo de todo o mundo das transações. A filosofia técnica e a estrutura da Achain baseiam-se na perspectiva de contratos inteligentes, que se enquadram perfeitamente no programa e na visão da Acute Angle Cloud.


Siga-nos no Facebook