Adoção de blockchain é tendência na área de segurança eletrônica, diz especialista brasileiro

A adoção de tecnologia blockchain já é uma tendência para o mercado brasileiro de segurança eletrônica, segundo afirmação do especialista em segurança e privacidade, Emílio Nakamura, ao portal Terra nesta terça-feira, 30 de abril.

Nakamura diz que a blockchain pode resolver “várias vulnerabilidades” do setor de segurança eletrônica, como a segurança das informações, a imutabilidade e a transparência. Segundo ele, hoje “é preciso tomar muito cuidado com coisas com as quais não se tinha preocupação antes.

Como exemplo, ele diz que “se alguém tentar apagar imagens de segurança eletrônica, não vai conseguir”.

"A segurança eletrônica tem mais a ver com conectividade, tudo está mais conectado. Antes a informação da segurança eletrônica ficava no próprio local, hoje ela vai para um ambiente novo, o que acaba abrindo portas para outros tipos de preocupação que antes não existiam."

Segundo ele, no exterior já há empresas que vendem armazenamento de dados e informações em blockchain. “É uma tendência, as empresas estão indo pra esse lado, testando a viabilidade disso”, completou.

Segundo o especialista, para garantir a privacidade dos dados, a blockchain teria que ter uma arquitetura híbrida, com parte dos blocos públicos e parte privados: 

"Os projetos em que a gente tem trabalhado mesclam esses dois mundos. Uma tendência é não usar somente um tipo de blockchain, mas sim criar camadas distribuídas de acordo com o nível de confidencialidade da informação trabalhada naquela rede."

O texto também ressalta que blockchain será tema central da feira especializada no setor Exposec, que acontece em São Paulo entre 21 e 23 de maio.