Aspectos Absolutamente Bizarros do incidente de hackeamento de US$ 2,2 bilhões da BTC-e e Mt. Gox

Ontem, em 27 de julho, as comunidades de Bitcoin e criptomoedas ficaram atônitas com a descoberta da WizSecurity, que revelou que a BTC-e e seu proprietário Alexander Vinnick estavam directamente envolvidos no roubo e violaççao de segurança da Mt. Gox que levaram à perda de perdas de cerca de US $ 2,2 bilhões em Bitcoin.

Absolutely Bizarre Aspects of the BTC-E Mt. Gox Hacking Incident

Aspectos Absolutamente Bizarros do incidente de hackeamento de US$ 2,2 bilhões da BTC-e e Mt. Gox

Como a Cointelegraph relatou anteriormente, Vinnick desempenhou um papel fundamental no incidente de hacking da Mt. Gox, lavando US$ 2,2 bilhões de Bitcoins roubados do arquivo Wallet.dat da Mt. Gox. Além disso, oficiais e autoridades gregas acusaram Vinnick por lavagem de cerca de US$ 4 bilhões em Bitcoin, para distribuidores de ransomware e hackers.

A força-tarefa americana e o Departamento de Justiça dos EUA, juntamente com a Rede de Execução de Crimes Financeiros (FinCEN na sigla em inglês) do Departamento de Tesouraria dos EUA, que pediu a extradição de Vinnick para os EUA, multaram oficialmente a BTC-e em US$ 110 milhões por facilitar a venda de ransomware e drogas na dark net.

Jamal El-Hindi, diretor interino do FinCEN, disse:

"Nós iremos atrás de transmissores de dinheiro estrangeiros, incluindo permutadores de moeda virtual, que façam negócios nos EUA quando eles voluntariamente violarem as leis de lavagem de dinheiro dos EUA. Esta ação deve ser um forte impedimento para quem pensa que pode facilitar a venda de ransomwaree drogas no mercado negro ou realizar outras atividades ilícitas usando moeda virtual criptografada ".

Aspectos Bizarros do incidente de hackeamento de US$ 2,2 bilhões da BTC-e e Mt. Gox

O simples fato de que a BTC-e, a mais antiga e uma das casas de câmbio de Bitcoin mais confiáveis ​​na indústria, foi forte e diretamente envolvida no roubo de Bitcoins e fundis de usuários da Mt. Gox caíram como uma bomba para a indústria e a comunidade Bitcoin.

No entanto, houve aspectos mais estranhos do incidente que não foram destacados no relatório da WizSecurity.

De acordo com a WizSecurity, os hackers envolvidos no hack da Mt. Gox e Vinnick, o proprietário da BTC-e, também estiveram envolvidos na violação de segurança da Bitcoinica, o que levou à perda de mais de 43 mil Bitcoins. No preço do Bitcoin de hoje, o ataque de hacking da Bitcoinica custou aos usuários da casa de câmbio mais de US$ 110 milhões.

Além disso, apesar de ser multado em quase a mesma quantidade de Bitcoin perdida e roubada durante a pirataria da BItcoinica, os representantes da BTC-e anunciaram em suas plataformas de mídia social que a casa de câmbio voltará a funcionar de cinco a 10 dias, o que, de acordo com a Relatório do FinCEN, parece altamente improvável. Também é importante notar que a BTC-e anunciou seu plano de recuperação de 10 dias antes do anúncio do FinCEN e a pena de US$ 110 milhões.

Talvez o mais interessante e importante, o envolvimento do BTC-e no hack da Mt. Gox foi revelado apenas duas semanas depois de Mark Karpeles, o ex-CEO do agora extinto Bitcoin Exchange Mt. Gox, declarou-se inocente no tribunal japonês em uma audiência com base em acusações de manipulação de dados e desfalque.

No total, a quantidade de Bitcoin lavada através de BTC-e e Vinnick usando sua ferramenta de mistura de Bitcoin pessoal foi maior do que o limite de mercado da Bitcoin há menos de dois anos, em maio de 2015.