600 mineradores de Bitcoin roubados na Islândia provavelmente estão na China

As máquinas que desapareceram depois de um roubo de hardware de mineração de Bitcoin (BTC) não resolvido na Islândia no início deste ano podem estar na China, segundo a fonte de notícias islandesa RUV relatou em 5 de maio. Segundo os relatos da polícia islandesa, um inquérito às autoridades chinesas foi divulgado, no final de abril, que 600 aparelhos usados para mineração de BTC haviam sido confiscados na cidade de Tianjin, no norte do país.

O número de máquinas confiscadas corresponde exatamente ao número de hardware perdido que foi roubado em três assaltos em centros de dados na Islândia em dezembro e janeiro. A polícia islandesa logo conseguiu identificar e prender dois suspeitos em fevereiro. Um deles agora enfrenta um mandado de detenção internacional, depois que escapou de uma prisão islandesa e fugiu para a Suécia em meados de abril.

O equipamento em falta até agora não foi encontrado. Seu valor total é estimado em 200 milhões de krónur, equivalente a quase US $ 2 milhões. A polícia islandesa tem monitorado o consumo de energia no local para ver se há aumentos anormais, sem sucesso.

Em Tianjin, ocorreu exatamente o que é um padrão de uso de eletricidade altamente irregular que tem atraído a atenção de um operador de rede local, levando ao confisco do hardware de mineração suspeito pelas autoridades.

A polícia chinesa ainda não respondeu ao inquérito islandês, segundo a RUV.

Com seu clima frio e amplo acesso à energia renovável, a Islândia é um ótimo lugar para a mineração de criptomoedas. As fontes da indústria local previram que o consumo de energia para mineração de criptomoedas no país iria duplicar neste ano. Isso é mais eletricidade do que os 340.000 habitantes da Islândia consumirão para uso pessoal.

O acesso a usinas de energia geotérmica e hidrelétrica torna a mineração na Islândia potencialmente mais sustentável do que nos locais de mineração de carvão na China.

A última sendo uma superpotência em mineração de criptomoedas. Em 2017, supostamente 50 a 70% da mineração de BTC ocorreu na China. Em janeiro deste ano, no entanto, surgiram notícias sobre os planos para endurecer a supervisão regulatória na região e potencialmente restringir o uso de energia para os mineradores no futuro.