Três razões pelas quais um trader único não manipulou o preço do Bitcoin para US$ 20 mil

Os altos de preço do Bitcoin (BTC) em 2017 não foram o resultado de um único trader em uma exchange, afirma o CEO da empresa de pagamentos Circle

Em uma série de “tuítes” em 4 de novembro, Jeremy Allaire contestou uma pesquisa recente que afirmava que a alta do Bitcoin para US$ 20.000 era o resultado de esforços de um único detentor de carteira. 

CEO do Circle: Pesquisa não entende as exchsnges

As descobertas estão atualmente sendo parte do processo de US$ 1,4 trilhão contra a stablecoin Tether (USDT). Os pesquisadores argumentam que sua emissão coincidiu com os aumentos de preços do Bitcoin.

Para Allaire, porém, a ideia de que um operador de que o Tether se envolveria em manipulação em uma exchsngr não tinha lógica.

“As exchanges usam carteiras omni-bus, que agrupam todos os saldos e transações de clientes dentro e fora da exchange. Portanto, uma análise que mostra que 'uma única carteira' estava envolvida nos fluxos da Bitfinex para outras exchanges não faz sentido. Tudo o que mostra é que os traders estavam negociando”, resumiu.

Outros, entretanto, incluindo colaboradores do Cointelegraph, seguiram Allaire na discordância da conclusão de que mercados inteiros eram influenciados por uma única carteira.

“Acordem; todo mercado é ‘manipulado’. Todo mundo ‘tuitando’ algo sobre o preço de um determinado ativo está 'manipulando' o mercado. Não significa que você não pode ganhar dinheiro", resumiu o trader Michaël van de Poppe em um post no Twitter na segunda-feira.

Bruce Fenton, ex-diretor executivo da Bitcoin Foundation, criticou a proficiência técnica dos dados.

"A premissa inteira parece entender mal como os mercados e as stablecoins ​​funcionam", respondeu ele, chamando a pesquisa de "ciência mal-feita".

Mais Tether não significa preço mais alto do BTC

A disputa surge à medida que movimentos curiosos no preço do Bitcoin continuam. Como o Cointelegraph relatou, vários saltos recentes provocaram especulações, incluindo uma que levou aos segundos maiores ganhos diários na história do Bitcoin.

Em dezembro de 2017, o valor de mercado do Tether era de cerca de US$ 1 bilhão. Mas enquanto o preço do Bitcoin agora é 50% menor do que então, o valor de mercado do Tether aumentou quatro vezes para os níveis atuais de US$ 4,1 bilhões.

Portanto, a emissão do novo USDT, portanto, não corresponde diretamente ao par BTC/USD permanecer maior.

Concentre-se nas exchanges "quebradas" da China

Uma teoria adicional sobre as atividades de 2017 está centrada na China. De acordo com Elaine Ou, colaboradora da Bloomberg anteriormente com o aplicativo de carteira móvel Bitcoin Abra, as exchanges não estavam preparadas para as consequências da proibição de Pequim do comércio de criptomoedas.

Citando uma pesquisa da startup de criptomoeda Chainalysis, Ou disse que os investidores chineses estocaram o Bitcoin usando yuan antecipadamente.

"Quando a proibição entrou em vigor, os traders não tiveram como trocar as criptomoedas de volta para yuan, então passaram a usar o Tether em exchanges estrangeiras como substituto da moeda fiduciária (afinal, o yuan está mais ou menos atrelado ao dólar)" ela resumiu.

O resultado, junto com o fenômeno da oferta inicial de moedas, ou ICO, para exchanges, foi notável. Ou acrescentou:

"A Coinbase teve tanta atividade comercial que a exchange ‘quebrou’. E a ideia de que uma baleia solitária alimentou essa corrida para o Bitcoin durante um ano é mais do que um pouco boba."