2019 verá a entrada de mais jogadores institucionais na cripto, diz fintech líder da Ásia na PwC

Henri Arslanian, o líder de fintech e cripto para a Ásia da PricewaterhouseCoopers (PwC) Hong Kong, previu que muitos participantes institucionais entrarão na indústria de cripto em 2019. Arslanian fez essa afirmação durante uma entrevista à Bloomberg publicada em 24 de dezembro.

Quando questionado sobre sua perspectiva para a cripto para o ano que vem, Arslanian disse que ele acha que “há muitas coisas interessantes que estão à espera do ecossistema cripto em 2019”. Arslain explicou que espera que o ano que vem seja diferente de 2018 por causa da crescente clareza regulatória.

Arslanian também declarou que espera que “muitos outros grandes bancos” entrem no espaço, alguns lançando suas próprias soluções, outros fazendo parcerias ou investindo em empresas de cripto. Esse envolvimento, ele explica, trará “expertise em nível institucional” que - segundo ele - é muito necessária na indústria.

A PwC é uma rede internacional de empresas que fornecem serviços de consultoria e auditoria. A empresa - que tem sede em Londres - foi fundada em 1849 e é uma das "quatro grandes" das empresas de contabilidade. O escritório de Hong Kong aceita Bitcoin (BTC) como pagamento por seus serviços de consultoria desde o final de 2017.

Já houve alguns anúncios de grandes instituições, aparentemente apoiando as declarações de Arslanian. Como a Cointelegraph informou no início deste mês, a Nasdaq - a segunda maior bolsa de valores do mundo - confirmou seus planos de lançar futuros de Bitcoin no primeiro semestre de 2019.

Além disso, a Intercontinental Exchange (ICE), operadora de 23 bolsas, incluindo a Bolsa de Nova York (NYSE), anunciou que planeja lançar sua plataforma de ativos digitais Bakkt em 24 de janeiro de 2019.

No entanto, houve relatos recentes neste ano de que vários gigantes de Wall Street adiaram seus planos de entrar na cripto em meio à queda dos preços das criptomoedas.