Escolhendo a melhor e mais segura exchange de criptomoeda

Connor Blenkinsop
29 NOV 2019
Escolhendo a melhor e mais segura exchange de criptomoeda

Partnership Material

1.

Por que não posso simplesmente confiar nas exchanges?

Embora possa ser tentador optar pela exchange que faz as melhores reivindicações ou parece a mais credível - é importante fazer sua própria lição de casa.

31 exchanges de criptomoedas foram hackeadas nos últimos oito anos - com um valor roubado estimado de US$ 1,3 bilhão.

Você pode pensar que algumas das maiores exchanges por volume de negócios - com a Binance dominando as classificações do CoinMarketCap - estariam entre as mais robustas do setor, dada a sua popularidade entre os entusiastas de criptomoeda. No entanto, como o Cointelegraph relatou quando o relatório do ICORating foi lançado no início de outubro de 2018, a Binance obteve uma pontuação surpreendentemente baixa de 63/100 quando classificada em requisitos, incluindo robustez de codificação e proteção ao usuário final.

O relatório revelou que chocantes 41% das 100 exchanges analisadas permitem senhas "simples" com menos de oito caracteres - o que significa que essas plataformas estão permitindo que clientes menos informados não se protejam da forma correta e corram o risco de perder seus fundos.

No geral, suas conclusões fazem um alerta sombrio, com os autores do relatório escrevendo: "Ninguém está totalmente protegido contra a perda de seus criptoativos, portanto, invista em ativos confiáveis, diversifique seu portfólio e escolha boas exchanges de criptomoeda".

2.

Como escolho uma boa exchange? O que dizem os especialistas?

O tipo de armazenamento usado pela exchange e guardar suas moedas em uma carteira habilitada para Internet quando você precisar usá-las são importantes.

Em primeiro lugar, vale a pena aprender com as lições difíceis que os entusiastas das criptomoedas sofreram com alguns dos principais hacks do passado.

Mt. Gox foi hackeada duas vezes - uma em 2011 e outra em 2014 - com um total de 850.000 Bitcoin perdidos no último ataque. Na época, representava aproximadamente 7% da quantidade total de Bitcoin em circulação, com um valor naquela época de cerca de US$ 480 milhões. Hoje isso valeria mais de US$ 5,4 bilhões. Em 2013, ela lidava com cerca de 80% das transações de Bitcoin - mostrando como até as maiores exchanges podem ser vulneráveis. No caso da Mt. Gox, um sistema de computador com defeito era o culpado, abrindo-a para ataques de hackers.

Conversando com o Cointelegraph em agosto, especialistas disseram que a melhor maneira dos investidores se vacinarem contra a falta de segurança, era escolher uma exchange que contasse com a ajuda de auditores confiáveis, ​​que passam o tempo todo procurando falhas em um sistema. Procurar uma exchange que use armazenamento a frio - onde os ativos são armazenados em um local sem conexão à Internet - pode ajudar. Minimizar a quantidade de moedas mantidas em carteiras quentes também pode reduzir o impacto se um ataque ocorrer.

3.

Quais passos devo seguir?

Torne sua senha complexa e verifique se há várias etapas antes que uma transação seja totalmente concluída.

Várias exchanges usam um atraso de tempo quando estão processando transações, permitindo que sejam revisadas manualmente quanto a atividades fraudulentas. Embora possa ser um pouco inconveniente aguardar a liberação dos fundos, os especialistas dizem que a maioria dos usuários deve estar disposta a suportar o inconveniente de esperar por um pagamento em vez de perder seus ativos, porque eles foram processados instantaneamente e inconscientemente, entregues a um hacker ganancioso.

É importante adotar os procedimentos de segurança que uma exchange oferece, bem como os gatilhos de aviso que surgem quando uma transação parece suspeita. Isso significa tirar o máximo proveito da autenticação de dois fatores, transações com várias assinaturas e garantir que uma senha seja tão complexa quanto humanamente possível.

4.

O que as exchanges estão fazendo para aumentar a segurança?

As plataformas mais conscientes sobre segurança estão tentando garantir que todas e quaisquer transações sejam suas.

Isso pode significar verificar se o endereço IP que está sendo usado para concluir transações corresponde aos detalhes que você normalmente usa. Também é comum verificar pagamentos com uma confirmação por email, além de usar um cartão de débito cripto. 

Algumas exchanges, como a International Digital Currency Markets (IDCM), estão recorrendo à inteligência artificial para ajudar com seus esforços de segurança - e usam a tecnologia que monitora continuamente sua rede em busca de atividades suspeitas. O white paper da empresa diz que usa "padrões de segurança de grau bancário" para se proteger contra hackers.

5.

Os temores de segurança estão impedindo que a criptomoeda se torne popular?

Pode-se argumentar que esse é o caso - mas os especialistas acreditam que existem vários outros obstáculos que a indústria precisa enfrentar.

Andrew Wong, sócio-gerente da IDCM, diz que o mundo das criptomoedas ainda está engatinhando - tanto que levará pelo menos três anos antes que as criptomoedas comecem a ganhar domínio, e ainda mais para o público começar a adotá-la adequadamente.

Em parte, ele acredita que isso se deve aos problemas de escalabilidade - e ao fato de que a tecnologia blockchain pode ser difícil para os iniciantes entenderem e usarem.

Wong, ex-trader do JP Morgan, acredita que "serão mais rigorosos os procedimentos (KYC) para exchanges centralizadas" que serão introduzidos no futuro - mas acredita que isso não deve prejudicar o progresso do setor. Ele disse: “A regulamentação de criptomoedas é absolutamente necessária; portanto, contanto que não sufoque a inovação, é uma coisa positiva. A certeza é o principal benefício da regulamentação.”

6.

Como posso ter certeza de que uma exchange está dizendo a verdade?

As ações importam mais do que palavras - então, veja o que estão fazendo para se proteger de hackers e manter suas plataformas seguras.

Muitas plataformas se submetem regularmente a auditorias de segurança por partes independentes, que depois publicam suas descobertas e divulgam as vulnerabilidades encontradas. Exchanges respeitáveis publicarão o resultado dessas auditorias na íntegra - permitindo que você veja por si mesmo seus pontos fortes e fracos, e as etapas que foram tomadas para resolver as coisas.

Você também deve ver se a exchange em que você está interessado participa ou não de programas de recompensas por bugs. Simplificando, é aqui que uma plataforma oferece uma recompensa para hackers “bonzinhos” que expõem falhas de segurança em seus sistemas - jogando criminosos cibernéticos em seu próprio jogo e tentando explorar uma falha antes que eles o façam. É uma prática que ganhou força nos últimos anos, com grandes empresas e até governos distribuindo essas recompensas.

Aviso Legal. O Cointelegraph não endossa nenhum conteúdo ou produto desta página. Embora nosso objetivo seja fornecer a você todas as informações importantes que poderíamos obter, os leitores devem fazer suas próprias pesquisas antes de tomar qualquer ação relacionada à empresa e assumir total responsabilidade por suas decisões, este artigo não pode ser considerado um conselho de investimento.