O que é arbitragem e como ela funciona na negociação de criptomoedas

Connor Blenkinsop
28 NOV 2019
O que é arbitragem e como ela funciona na negociação de criptomoedas

Partnership Material

1.

O que é arbitragem de negociação?

Esse tipo de negociação capitaliza a disparidade dos preços entre diversos mercados.

Simplificando, é quando um ativo é comprado e vendido simultaneamente em dois mercados - geralmente tirando vantagem do fato dele estar sendo vendido a preços diferentes.

Como exemplo, as ações de uma empresa de tecnologia podem estar à venda por US$ 35 na Bolsa de Nova York e disponíveis por US$ 35,10 em Londres. Claro, a diferença é pequena - mas rapidamente comprar em grande quantidade as ações a um preço mais baixo e vendê-las por um preço mais alto pode resultar em um lucro certo para um trader mais aguçado. Esse conceito captura a própria essência da arbitragem e apresenta um risco relativamente baixo quando comparado a outras estratégias.

Agora, você deve estar se perguntando: como essas disparidades podem ocorrer? Bem, há uma infinidade de razões. Flutuações nas moedas podem significar que o estoque esteja sendo subvalorizado nas exchanges. Os mercados também possuem seus defeitos, e pode ser difícil chegar a uma sincronia entre todas as exchanges. Informações assimétricas entre compradores e vendedores também são um terreno fértil para arbitragem. Infelizmente, com margens de lucro tão pequenas, as taxas de negociação podem, em última análise, significar que muitas oportunidades de arbitragem têm pouco apelo financeiro para ter sequência.

A arbitragem pode funcionar em uma variedade de instrumentos financeiros além das ações - levando-nos muito bem à nossa próxima pergunta.

2.

A arbitragem é possível no mercado cripto?

Sim - é o mesmo conceito, mas com ativos diferentes em jogo.

Existem muitas exchanges em todo o mundo, cada uma oferecendo aos consumidores a oportunidades de comprar criptomoedas. Por isso, pode haver diferenças significativas nos preços oferecidos para moedas digitais como Bitcoin (BTC).

Esta disparidade normalmente surge em regiões onde as criptomoedas estão com alta demanda. Um dos exemplos mais citados é o "Kimchi Premium". No caso, os comerciantes locais na Coréia do Sul acabaram pagando mais por Bitcoin em dólares do que teriam feito nos Estados Unidos, Europa e até outras partes da Ásia.

No Zimbábue, uma nação africana devastada pela hiperinflação, tem itens essenciais do dia a dia, como alimentos e combustível, sujeitos a se tornarem mais caros em questão de dias, até horas. Há casos em que os habitantes locais foram forçados a levar mochilas inteiras de dólares do Zimbábue para comprar mantimentos.

 Em 2017, os preços do Bitcoin em uma exchange local eram quase o dobro dos preços cotados em plataformas internacionais - em parte por causa de como os consumidores afetados não conseguiam acessar as exchanges fora do país.

O Bitcoin também foi negociado a prêmio em Hong Kong em meio a agitação política em andamento. Em agosto, os comerciantes estavam pagando 2% a mais por moeda do que em outros lugares. No mesmo mês, também houve um prêmio de 4% na Argentina, depois do peso despencar em decorrência do resultado das eleições.

Mesmo quando condições econômicas e políticas extremas são removidas da equação, as diferenças de preços entre as exchanges também podem criar condições propícias à arbitragem.

3.

Quais são os métodos usados para arbitragem de criptomoedas?

Vamos dar uma olhada em três métodos de arbitragem cripto: espacial, transfronteiriça e de estatística.

A arbitragem espacial envolve tirar proveito dos diferentes preços de criptomoeda cotados em duas exchanges diferentes. Enquanto a exchange A pode oferecer BTC por US$ 9.500, o preço da exchange B pode ser de US$ 9.850. Um trader pode tirar proveito dessa divisão de US$ 350 comprando na Exchange A e vendendo na Exchange B - movendo efetivamente os fundos de uma para o outra. Dada a extensão da descentralização no setor de criptomoedas, essas discrepâncias podem ocorrer com mais frequência do que se imagina.

Já a arbitragem transfronteiriça é um conceito semelhante, mas uma distinção importante é que as duas exchanges envolvidas em uma transação estão localizadas em países diferentes. Vale lembrar que essa estratégia comercial específica pode ser difícil de executar, pois a razão pela qual esses prêmios existirem pode ser porque os consumidores de determinados países não conseguem acessar os preços de mercado.

Por último - mas não menos importante -, há arbitragem estatística. Essa é uma estratégia de alta tecnologia que geralmente envolve modelagem matemática. É mais arriscado do que outras técnicas, porque pode envolver o uso de algoritmos de negociação que capitalizam discrepâncias de preços que podem existir somente por um curto período de tempo.

4.

É popular no mundo das criptomoedas?

A arbitragem existe há séculos e está começando a ganhar força na criptografia - mas as oportunidades podem durar pouco.

As mudanças na oferta e na demanda à medida que uma criptomoeda é movida de uma exchange para outra podem ter um impacto nos preços. A volatilidade no mercado pode significar que uma oportunidade de arbitragem pode desaparecer rapidamente - mas, por outro lado, mudanças irregulares nos preços geralmente apresentam novas oportunidades. Se feita corretamente, a arbitragem torna teoricamente possível que uma quantia significativa possa ser conseguida em um curto espaço de tempo - e com mais de 200 exchanges por aí, digamos é provável que haja variações de preços.

5.

Existem riscos ou desvantagens na arbitragem de criptomoedas?

Obstáculos jurídicos e financeiros podem dificultar o lucro da arbitragem de criptomoedas.

Independentemente do tipo de arbitragem de criptomoedas em que um trader está praticando, as plataformas sempre cobrarão taxas pelas transações - e ocasionalmente taxas de retirada. Por isso, é importante que os traders considerem estes custos, para garantir que ainda haja uma margem de lucro no final.

A arbitragem transfronteiriça também pode ser mais difícil devido ao conhecimento do seu cliente de regulamentos de verificação de identidade  (KYC) - requisitos rigorosos que estabelecem que um trader por exemplo só possa negociar em uma exchange se fornecer identificação válida emitida pelo governo ou outra documentação para verificar sua identidade. 

Outra preocupação envolvendo as exchanges envolve os atrasos que podem ser associados à execução de saques. Se você tiver um prazo limitado para obter fundos de uma plataforma para outra, transferências lentas podem significar que a oportunidade será perdida quando a negociação for concluída.

Também vale a pena estar ciente de que as exchanges oferecem preços extremamente baixos para Bitcoin e outras criptomoedas - preços que às vezes estão bem abaixo da taxa de mercado. Embora possa parecer uma chance irresistível de obter alguns ganhos, sempre vale a pena realizar a devida pesquisa e verificar se a tal exchange é realmente confiável - caso contrário, você poderá perder seu dinheiro. Ou então se os preços são resultado de um hack, por falha de segurança ou saques bloqueados.

6.

Então, a arbitragem cripto vale o esforço?

O veredito está contigo.

As pessoas com mais experiência no mercado - que sabem como identificar as boas oportunidades - normalmente obtêm níveis mais altos de sucesso. E, embora possa ser possível capitalizar um spread de 20% entre o preço de compra e o preço de venda, é importante medir se o esforço para concluir sua transação valerá o seu tempo.

Lembrar dos obstáculos legais, técnicos e financeiros - além de levar em consideração o potencial de taxas e volatilidade nos mercados de criptografia - é essencial antes de você iniciar a arbitragem. No entanto, a presença de plataformas que transcendem fronteiras e conectam compradores e vendedores também podem te auxiliar a ter mais indimidade com a arbitragem de criptomoedas.