WSJ: Programas de negociação automatizada manipulam os preços da moeda digital

Os programas de negociação automatizada, ou bots, estão manipulando os preços das moedas digitais nas casas de câmbio de criptomoeda, de acordo com um relatório do Wall Street Journal (WSJ) de 2 de outubro.

O software de negociação automatizada é um programa que permite que os operadores estabeleçam regras específicas para entradas e saídas comerciais, enviem pedidos para um centro de mercado ou casa de câmbio e os executem automaticamente por meio de um computador a velocidades maiores do que qualquer humano.

Os programas de negociação estão disponíveis para os mercados tradicionais e de cripto, e podem ser implantados para estratégias legítimas e manipuladoras.

Abordando os mercados de cripto, o WSJ cita a falta de regulamentação adequada como a principal condição que permite que bots executem estratégias abusivas em nível industrial. Andy Bromberg, cofundador e presidente da startup CoinList, disse ao WSJ que “este tipo de atividade é desenfreado no mercado agora. Mancha a reputação do mercado e prejudica os investidores individuais”.

De acordo com o WSJ, o fundo de cobertura de moeda digital de US $ 80 milhões Virgil Capital usa seus próprios bots em várias casas de câmbio cripto ao redor do mundo. Stefan Qin, sócio-gerente da Virgil Capital, disse ao WSJ que está em um constante jogo de gato e rato com bots inimigos.

De acordo com o WSJ, Virgil perdeu fundos em determinados negócios em Ethereum (ETH) no início deste ano depois que um "bot de assédio" teve como alvo o fundo. O WSJ explica ainda mais a estratégia usada pelo bot:

"A estratégia do bot era semelhante ao 'spoofing', uma prática na qual os operadores só fazem pedidos falsos para cancelá-los. A tática, destinada a enganar outros investidores para comprar ou vender um ativo, sinalizando falsamente que há mais oferta ou demanda, foi proibida nos mercados de ações e futuros dos EUA em 2010.”

Outro exemplo de manipulação de preços em moedas digitais citado pelo WSJ é o comerciante Kjetil Eilertsen, que começou a negociar Bitcoin (BTC) em 2011. Eilertsen teria desenvolvido um programa chamado Quatloo Trader, que foi promovido como “a melhor ferramenta de manipulação de mercado no mundo da A idéia do programa é facilitar a manipulação de mercado usando ferramentas internas, como uma guia especial chamada “ferramentas de baleia”, que executa várias “estratégias abusivas”.

Eilertsen disse ao WSJ que é inútil proibir a manipulação em moedas digitais, e que seria mais eficaz fornecer ferramentas de manipulação aos pequenos comerciantes. “Se todos podem manipular, ninguém está manipulando. Você não pode banir nada de pessoas que se dedicam a fazer algo”, disse Eilertsen ao WSJ.

Notavelmente, programas semelhantes não são permitidos em bolsas de valores tradicionais. A Bolsa de Valores de Nova York monitora regularmente as operações de atividades comerciais ilegais e negociações abusivas e pune os infratores.

Na semana passada, o WSJ informou que quase US $ 90 milhões em fundos ilícitos haviam sido canalizados através de várias casas de câmbio cripto, incluindo o ShapeShift. Ontem, o fundador e CEO da ShapeShift, Erik Vorhees, refutou as alegações da WSJ. Ele afirmou que a publicação havia deturpado fatos e cometido erros em suas reportagens devido à falta de conhecimento das operações de câmbio e da tecnologia blockchain.