O câmbio dos Winklevoss faz parceria com a NASDAQ, a primeira do tipo na indústria

A Gemini, a casa de câmbio de criptomoedas que tem Cameron e Tyler Winklevoss à frente, anunciou que havia feito uma parceria com a NASDAQ para monitorar os mercados em 25 de abril. A notícia chega no mesmo dia em que Adena Friedman, CEO da Nasdaq, disse que a empresa está "aberta" para se tornar uma plataforma de câmbio de criptomoedas quando o mercado amadurecer.

Como um comunicado de imprensa e vários meios de comunicação confirmam, o movimento representa algo inédito do setor de criptos, e verá a Gemini usar a tecnologia de vigilância de mercado da NASDAQ, a SMARTS.

No futuro, a Gemini será alertada sobre um comportamento comercial incomum e poderá mitigar os efeitos da manipulação do mercado - uma ameaça que continua a formar um ponto de discussão no setor de câmbio.

“Nossa implantação da SMARTS Market Surveillance da Nasdaq ajudará a garantir que a Gemini seja um mercado baseado em regras para todos os participantes do mercado”, comentou Tyler Winklevoss sobre a parceria.

A SMARTS “automatiza a detecção, investigação e análise de negociações potencialmente abusivas ou desordenadas”, como a NASDAQ descreve sua tecnologia está atualmente em uso por 45 marketplaces, 17 reguladores e mais de 140 participantes do mercado.

No início deste mês, a Gemini mudou-se para uma bolsa de grande volume em criptomoedas quando revelou o chamado block trading para seus usuários.

Ocorrendo off-book, grandes negociações serão deliberadamente publicadas com um atraso de dez minutos, a fim de evitar a volatilidade localizada.

Várias bolsas de balcão, tanto dentro como fora dos EUA, também estão tentando engajar comerciantes atacadistas.